terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Equipe do Tesouro Nacional está em BH para analisar a situação financeira do Estado

A visita é um dos primeiros passos para o acordo entre o governo federal e o governo mineiro sobre a renegociação da dívida

A visita é um dos primeiros passos para o acordo entre o governo federal e o governo mineiro sobre a renegociação da dívida

Uma equipe da Secretaria do Tesouro Nacional está em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (14), para se atualizar sobre a situação fiscal do Estado e analisar a possibilidade de renegociar a dívida de Minas com a União, estimada em R$ 87,6 bilhões. A informação foi confirmada pela assessoria do Tesouro Nacional, e a equipe técnica ficará na capital mineira até a quarta-feira (16). 

A visita é um dos primeiros passos para o acordo entre o governo federal e o governo mineiro sobre a renegociação da dívida. Ainda conforme o Tesouro Nacional, a equipe formada por 12 integrantes que está colhendo informações sobre a atual situação financeira de Minas integra a Subsecretaria de Estados e Municípios do órgão. As reuniões com integrantes das secretarias de Estado da Fazenda e de Planejamento e Gestão acontecem a portas fechadas. 

De acordo com a Secretaria de Estado de Fazenda, a visita é um primeiro passo para a medida que pode ajudar a equalizar as contas. "Minas Gerais passa por uma grave crise financeira. Diante desse cenário adverso, o governador Romeu Zema determinou que sejam tomadas medidas necessárias e urgentes em busca da retomada do equilíbrio das contas públicas do Estado. Uma dessas medidas é a adesão ao Programa de Regime de Recuperação Fiscal. E é justamente para tratar desse assunto que técnicos da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) se reúnem, em Belo Horizonte, com representantes do governo mineiro", informou. 

A partir dos trabalhos da equipe técnica do Tesouro Nacional junto às contas do Estado é que devem ser definidas as principais medidas para adesão ao plano de recuperação fiscal. 

No Twitter oficial do governador de Minas, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, explica o que está sendo feito: