quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Após fugas e divulgação de vídeos, Nelson Hungria passa por pente-fino

UAV20180128-026.jpg

Operação acontece na manhã desde a madrugada desta quarta-feira (31) na unidade, que fica em Nova Contagem
O Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, passa por uma operação pente-fino nesta quarta-feira (31). A medida foi tomada após um início de ano bastante conturbado na unidade, que foi palco de uma fuga, motim, ataque a ônibus atribuído aos presos e que teve diversos vídeos divulgados por detentos em 2018. 
A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) confirmou a operação, porém, argumentou que trata-se de uma ação multi-setorial que já estava planejada e não tem relação com os acontecimentos dos últimos dias. A ação, ainda de acordo com a pasta, visa não somente a segurança dentro da unidade, mas também embarca outros setores, como o setor de planejamento, a área administrativa e da saúde. Conforme a secretaria, ação semelhante acontecerá em todas as unidade do Estado. 
O pente-fino foi confirmado no início da manhã por agentes da unidade para a Associação Mineira dos Agentes e Servidores Prisionais de Minas (Amasp). "Está acontecendo uma grande movimentação na Nelson Hungria. Parece ser uma 'geral' em toda a unidade. Tem várias viaturas do Comando de Operações Especiais (COPE) e algumas da Tropa de Choque da PM", contou um servidor da unidade que não quis ser identificado. 
No  último sábado, dia 27 de janeiro, oito presos de alta periculosidade fugiram da Penitenciária. Segundo os agentes penitenciários, foi descoberto um buraco na parede em uma das celas, durante vistoria, antes do horário de visita. 
Dentre os fugitivos estava o traficante Felipe Souza da Cruz, conhecido por Jiraya por usar uma espada para torturar os seus algozes e que adquiria drogas diretamente com a organização criminosa paulista Primeiro Comando da Capital (PCC). Em dezembro, outros três detentos conseguiram fugir da unidade prisional.
No dia seguinte, um vídeo em que presos denunciavam a suposta opressão praticada pelas autoridades carcerárias passou a circular nas redes sociais. Nas imagens, dois presos encapuzados reclamam sobre falta de água, sujeira nas celas, violência dos agentes e ainda fazem ameaças. Já em outro vídeo, que também viralizou na web, é possível ver o momento em que eles colocam fogo em cobertores dentro de uma das celas.
Na noite do domingo (28), um ônibus foi completamente incendiado por bandidos na avenida João César de Oliveira, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Antes de fugir, os suspeitos entregaram um bilhete para o motorista exigindo o "fim da opressão" na Nelson Hungria. 
Já na segunda-feira (29), um novo vídeo passou a circular nas redes sociais. Desta vez, os presos faziam ameaças até mesmo contra o juiz Wagner Cavalieri, de Execuções Penais na cidade de Contagem. Leia a reportagem completa AQUI. 
 Além disso, no início do ano, um outro vídeo atribuído a um preso da Nelson Hungria também circulou na web. Nas imagens, um detento avisava para sua 'crush' que em breve sairia e que pretendia encontrá-la.