terça-feira, 28 de novembro de 2017

Falha no sistema impede mais de 4.000 pessoas de participar de designação no Estado

Mais de 4.000 pessoas que disputam vagas de designados na Secretaria de Estado de Educação em 2018 reclamam que foram prejudicadas por conta de uma falha no sistema do governo de Minas. O erro fez com que todos os candidatos ficassem com a data de nascimento de 1991, o que impossibilitaria essas pessoas de exercer cargos que exigem, dentro do currículo profissional, grandes períodos de atuação em suas áreas. Com isso, automaticamente, esses candidatos estariam desclassificados do processo seletivo. Designados são profissionais alocados em vagas que o governo do Estado abre temporariamente, para cobrir licenças médicas, por exemplo, nas escolas estaduais.

O erro, segundo os candidatos, teria ocorrido dentro do sistema da Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Prodemge). Pelas redes sociais, grupos organizados de trabalhadores da educação demonstravam indignação e preocupação por conta da falha. O sistema de inscrição para o processo passou a ser realizado pela internet em 2016 – o que, em si, já foi algo criticado por parte dos servidores, visto que há número considerável de professores, principalmente no interior, que não possuem acesso à internet.

Questionada pela coluna, a Secretaria de Estado de Educação afirmou que uma nova inscrição estará disponível para os candidatos a partir desta quarta-feira (29) até sexta-feira (1º de dezembro). O processo será “exclusivamente para a alteração do campo ‘data de nascimento’, constante nos dados cadastrais” da inscrição.
“Essa medida visa permitir ao candidato que verificou inconsistência entre a sua data de nascimento e a data de nascimento registrada pelo sistema a possibilidade de realizar a devida correção. Finalizado esse período, a secretaria irá publicar nova listagem de classificação na terça-feira, dia 5 de dezembro, nesse mesmo endereço. Para os demais candidatos, cujo registro de data de nascimento está correto, não há necessidade de acesso ao sistema”, disse, em nota, a assessoria de imprensa da pasta.

“Difícil explicar quando o outro não está disposto a entender”, descreveu a presidente do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT-MG), Beatriz Cerqueira, ao falar sobre a situação em seu perfil no Facebook. “Pessoas com mais de 10 anos de rede estadual correm o risco de não conseguirem trabalhar em 2018”, alertou. Ao se referir ao problema, a sindicalista disse que “surgiu agora uma ‘nova categoria’ da educação: os nascidos em 1991, criados pelo sistema”, escreveu Beatriz.

De acordo com a secretaria, foram feitos 631.491 cadastros e 1.354.237 inscrições, uma média de duas por candidato, uma vez que cada pessoa poderia concorrer até a três designações. As inscrições ficaram abertas de 25 de outubro a 10 de novembro, período em que os candidatos puderam realizar e modificar seus dados. Do total de cadastros, cerca de 4.500 foram vítimas da falha. (Da redação)


407 novos Sargentos na PMMG! Que Deus proteja vocês! Parabéns!

Na manhã desta quinta-feira (7), foi publicado o ato de promoção dos 407 novos Sargentos da Polícia Militar de Minas Gerais. A solenidad...