quinta-feira, 10 de agosto de 2017

MANIFESTAÇÃO PELOS DIREITOS E EM APOIO AOS POLICIAIS NA PRAÇA SETE TEM BOA ADESÃO E ÓTIMA REPERCUSSÃO

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé


A imagem pode conter: 10 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, multidão e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre


Foi realizada nesta quarta feira, dia 09 de agosto de 2017, a primeira manifestação do ano pelos direitos e em apoio à classe policial do Brasil. Militares se reuniram na Praça Sete a partir das 14 horas e Policiais Civis na Praça da Liberdade a partir das 13. Às 15:30 os policiais civis desceram para a Praça Sete onde o movimento foi unificado. Esposas de policiais e agentescompareceram em bom número e foram muito participativas e importantes.
A manifestação teve boa adesão e ótima repercussão em TV e rádios, além de ótima divulgação nas redes sociais.
Ao contrário do que imaginaram alguns, a manifestação não era mais um ato de desagravo ou de promoção à paz como tantas outras realizadas no Brasil. A idéia é um movimento nacional de cobrança da classe política e de visibilidade de problemas diários que impedem as polícias e agentes de segurança de promoverem seu trabalho com mais eficiência por falta de reformas em Códigos e Leis que não mais nos atendem.
Da mesma forma denunciada a injusta, e, a nosso ver, inconstitucional pena acessória da lei de tortura. Isto já tinha sido pauta de reunião com o Deputado Federal Sub Tenente Gonzaga há duas semanas, e está “andando” em Brasília. A idéia é produzir debates e documentos para mudanças pontuais, sobretudo na LEP e CPP.
Esta semente que foi plantada, e que foi só o primeiro passo, foi no sentido de acordar a classe policial para o início de gestões e pressão junto à classe política para caminhar com as polícias e a sociedade organizada, afinal o momento não comporta mais discursos inflamados sem atitude legislativa e reforma de leis que mantém o chamado “enxugamento de gelo” com a liberdade de marginais reiterados e reincidentes.
Asmoti e ÁMEM pelos militares, Sindpol e Sindasp estiveram na organização do evento que teve adesão também da sociedade civil, aplaudindo, falando ao som e anunciando apoio nas próximas. Da mesma forma convidamos aos agentes e policiais que não foram imaginando ser mais do mesmo, que compareçam nas próximas e mais do que isso, apóiem nas redes sociais com divulgação e cobrança de suas entidades de classe. Sem pressão, sem mudanças!
ASMOTI – SINDPOL – ÁMEM-MG - SINDASP

Governo de MG diz que 88% dos servidores receberam duas parcelas do salário

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda informou que o estado trabalha para pagar os últimos 12% 'o quanto antes'