sexta-feira, 19 de maio de 2017

Andréa Neves vai comer 'quentinha' e pão com manteiga como outras presas

ATRÁS DAS GRADES– Detida na Penitenciária Estévão Pinto, irmã de Aécio aparece em fotos de uniforme vermelho do sistema prisional
A irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB), Andrea Neves, de 58, presa pela Polícia Federal (PF) em um condomínio de luxo em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, vai ter que seguir as regras como qualquer outra detenta do Complexo Penitenciário Feminino Estêvão Pinto, no Bairro Horto.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), Andrea está em uma ala separada do pavilhão principal. “Essa separação se dá em razão do tipo de crime, das condições em que se deu a prisão e da repercussão do caso. Isso permite garantir a responsabilidade do Estado quanto à integridade física da detenta”, informou a Seap, lembrando que o procedimento é previsto na Lei de Execução Penal (LEP).
Formanda em Jornalismo pela PUC-Rio, Andrea ficará em uma cela individual de 2,50 por 3,00 metros. O local dispõe de cama, mesa e banco de alvenaria, vaso sanitário e chuveiro. “Ela seguirá os procedimentos normais da unidade prisional, como qualquer outra presa. Por exemplo: quatro alimentações diárias, banho de sol, assistências médica e psicossocial, além de visitas”, informou a secretaria.
As refeições serão as mesmas servidas às demais presas, sendo café da manhã e da tarde, normalmente pão com manteiga, café e leite, e almoço e jantar com cardápio composto por arroz, feijão, uma guarnição, salada e fruta. A alimentação é fornecida pela Organizações Nutri, empresa selecionada por meio de licitação em 2013.
Andrea Neves também terá que acordar cedo. As atividades das presas começam às 6h e elas devem retornar às 18h para as celas. Todas têm direito a banho de sol por duas horas diárias.
Andrea fez parte da área de Comunicação do governo de Minas quando seu irmão era governador, e também foi presidente do Serviço de Assistência Social de Minas Gerais (Servas), de 2003 a janeiro de 2014.

Andrea ficará em uma cela individual de 2,50 por 3,00 metros. Também terá que acordar cedo. As atividades das presas começam às 6h e às 18h elas devem retornar às celas. Todas têm direito a banho de sol por duas horas diárias

O mandado que determinou a prisão de Andrea foi expedido pelo ministro Edson Fachin, relator da “Lava Jato” no STF. Da sua casa em Nova Lima, Andrea foi levada para a sede da PF para prestar depoimento, acompanhada de dois agentes, no banco de trás de uma viatura descaracterizada. Mas permaneceu calada, seguindo orientação do advogado, Marcelo Leonardo.
Depois, foi levada para o Instituto Médico-Legal (IML) para ser submetida a exame de corpo delito, que é um procedimento legal, antes de ser transferida para o presídio, às 14h40. Na sede do IML, foi recebida por manifestantes com gritos de “ladrona”.
Colaboraram Bruno Moreno e Filipe Motta