quinta-feira, 20 de abril de 2017

Pimentel homenageia citado em ‘Lava Jato’ e humorista

Resultado de imagem para Grande Colar de Tiradentes
Com a desistência do ex-presidente Lula (PT) em participar da homenagem em Ouro Preto amanhã (Inconfidência Mineira), o governador Fernando Pimentel (PT) decidiu por uma solução caseira, como aventei em coluna publicada ontem, e será ele mesmo o orador da cerimônia. 

O petista vai destinar o Grande Colar, homenagem máxima, a <USDois_Pontos>Nelson Mandela, ex-presidente da África do Sul que ganhou o Nobel da Paz pela luta contra o apartheid. O embaixador do país no Brasil receberá a medalha. 
A segunda honraria em grau de relevância será entregue a lideranças do meio político e jurídico. Entre elas, chama a atenção a presença de ao menos quatro governadores. Flávio Dino (PCdoB) do Maranhão, receberá a Grande Medalha. Dino foi apontado por executivos e ex-executivos da Odebrecht. Ele teria recebido R$ 400 mil para defender projeto que beneficiava a empreiteira. Dino nega a acusação.
Ricardo Coutinho (PSB), gestor da Paraíba, também deve compor a lista. Ele enfrenta processo de cassação junto ao Tribunal Regional Eleitoral daquele estado por abuso de poder político e econômico. 
Os governadores petistas Rui Costa, da Bahia, e Camilo Santana, do Ceará, também estão na lista de homenageados. 
O governador ainda entregará a Grande Medalha ao ator e humorista Gregório Duvivier, um dos criadores do Porta dos Fundos. 

Decepção
Os movimentos sociais não ficaram satisfeitos com a desistência de Lula em participar da cerimônia em Ouro Preto. Já tinham combinado uma grande caravana com dezenas de ônibus para o evento.

Na frente
O ex-presidente Lula (PT) seria eleito presidente se as eleições de 2018 fossem hoje. É o que mostra pesquisa Vox Populi encomendada pela Central Única de Trabalhadores (CUT). Conforme o levantamento, o petista tem 44% das intenções de votos. Na segunda colocação aparece o polêmico Jair Bolsonaro (PSC) com 11% de preferência. Nome da Rede para o pleito, Marina Silva (10%) está na terceira posição seguida do senador tucano mineiro, Aécio Neves (9%). Ciro Gomes (PDT) tem 4%. O restante pretende anular, votar em branco ou ainda não se decidiu. 
A pesquisa tem um dado de extrema relevância: foi feita entre os dias 9 e 10 de abril, portanto, antes da delação bomba de executivos da Odebrecht. As declarações, que pegam em cheio Lula e Aécio, podem interferir no quadro eleitoral. Foram realizadas 2 mil entrevistas em 118 municípios. 
A maior força eleitoral de Lula continua sendo no Nordeste. 

Fora
Tarcísio Caixeta, ex-vereador, deixou a empresa de Informática e Informação de Belo Horizonte (Prodabel) ontem. Ele foi citado na planilha de Benedito Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, como beneficiário de recursos ilegais para campanha eleitoral. 

Sério?
Em meio a tantos escândalos e reformas polêmicas, a Assembleia Legislativa do Amazonas resolveu dar diploma de honra ao mérito à vice-campeã do Big Brother Viviam Amorim. 

Adalclever rejeita impeachment de Fernando Pimentel

Pedido foi feito pelo advogado Mariel Marra, que também tenta derrubar Temer