quarta-feira, 12 de abril de 2017

Em Minas, Bolsonaro cola em Aécio, e Lula lidera a disputa presidencial de 2018

jh
O crescimento do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) nas pesquisas com cenários para as eleições 2018, que assustou os tucanos em nível nacional, também é registrado com força em Minas Gerais.
Mesmo com todo o recall em torno do nome de Aécio Neves, governador duas vezes e senador pelo Estado, a disputa entre os dois aponta um empate técnico quando os eleitores mineiros são questionados sobre a próxima corrida ao Palácio do Planalto. Ambos, porém, seguem atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

De acordo com pesquisa estimulada do instituto Paraná, realizada de 31 de março a 5 de abril, em um dos cenários, Lula teria hoje, entre os eleitores do Estado, 23,2% dos votos. Aécio ficaria com 18,4%, e Bolsonaro somaria 16%. Considerando-se a margem de erro de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos, não é possível apontar quem estaria em segundo lugar entre os mineiros no cenário atual.

Entre os 2.015 eleitores ouvidos em 88 municípios de todas as regiões do Estado, a ex-senadora Marina Silva soma 11%. Também compuseram o cenário: Joaquim Barbosa, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e hoje sem filiação partidária, com 8,1%; o ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), com 2,9%; Michel Temer alcançaria 2,3% e o senador Ronaldo Caiado (DEM), que registra 1,7% das intenções de voto. Os que não pretendem votar em nenhum deles são 10,7%, e os que não souberam responder são 5,6%.

Quando considerados apenas os eleitores homens, Bolsonaro já lidera o levantamento, com 23,2%, contra 20,9% de Lula e 16% de Aécio. Já no cenário que inclui as eleitoras mulheres, ele aparece em quarto, com 9,3%, atrás de Lula (25,3%), Aécio (20,7%) e Marina Silva (13,5%).

Pesa para o bom desempenho de Bolsonaro a ampla preferência na faixa de 16 a 24 anos: 30,2%, contra 20% de Lula, 16,5% de Aécio e 11% de Marina. Aécio, por sua vez, vence na faixa de 60 anos ou mais: 23,9%, contra 22,8% de Lula, 10,5% de Marina e apenas 6,8% de Bolsonaro. Em todas as outras faixas a liderança é de Lula.

Apesar do desempenho modesto em casa, Aécio ainda se sai melhor que outros prováveis candidatos tucanos. Em um segundo cenário, quando o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é o nome do PSDB, Lula tem 24%, Bolsonaro chega a 16,4%, Marina tem 13,4%, e o tucano tem 8,9%. Em um terceiro cenário, com João Doria como o candidato do PSDB, Lula teria 23,9% da preferência dos mineiros, Bolsonaro alcançaria 15%, Marina Silva teria 14%, e o tucano somaria 9,9%.

Com a disputa no ninho tucano, o instituto Paraná perguntou ao eleitorado também quem deveria ser o nome do partido para concorrer ao Planalto: 29,1% dos ouvidos defenderam Aécio, 14,2% apontaram Doria, 13,1% ficaram com José Serra, 8,7% citaram Alckmin, e 1,3% apostou no governador do Paraná, Beto Richa. Os números do instituto também mostram que o mineiro não está satisfeito com o governo do presidente Michel Temer (PMDB). Enquanto 77,9% desaprovam a administração, apenas 18,5% a aprovam. Os que não sabem ou não opinaram são 3,6%.
Aparte/O Tempo