sexta-feira, 17 de março de 2017

Tony Ramos se diz surpreso sobre operação contra venda ilegal de carne

TONY RAMOS

Garoto propaganda da Friboi, empresa que está entre os alvos da investigação da Polícia Federal, o ator diz ter apenas um contrato com a empresa de publicidade e não tem qualquer contato com a empresa
O ator Tony Ramos se diz surpreso com a operação da Polícia Federal (PF) desencadeada nesta sexta-feira (17) da operação "Carne Fraca", que apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. 
A empresa JBS, que detém a Friboi, Seara, Swift, está entre as marcas que se tornaram alvo da operação. Garoto propaganda da Friboi, o ator diz ter apenas um contrato com a empresa de publicidade e não ter qualquer contato com a empresa.
Questionado sobre a qualidade do produto, o Tony diz acreditar na qualidade de todos os produtos pelos quais ele já fez publicidade. 


"Não sou técnico no assunto que a Polícia Federal está fazendo a ação, mas existe um controle em todas as embalagens, existe um código de barras que as pessoas podem acompanhar a qualidade e a validade", disse o ator ao site EGO. 


Operação
Além da JBS, também a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, também é investigada pela Polícia Federal. Ao todo, cerca de 40 pessoas jurídicas estão envolvidas no esquema que incluía venda de produtos vencidos com a embalagem modificada.
Durante as investigações, foi identificado envolvimento do PP e do PMDB. Mas essa parte não foi aprofundada porque o foco da investigação era a saúde pública, corrupção e lavagem de dinheiro.
Conforme informou a PF, os proprietários das empresas se beneficiavam do esquema e estavam dentro da situação, portanto não eram vítimas, mas corruptores. Também estavam envolvidos o ex-superintendente do Ministério da Pesca e da Agricultura no Paraná, o superintende de Goiás e um alto funcionário em Minas Gerais.