terça-feira, 14 de março de 2017

Detentas participam de festa do mês da mulher com atividades de ressocialização em Minas

Em Montes Claros, sentenciadas participaram de curso de maquiagem e também pintaram a deputada Raquel Muniz
Afastadas da família e da sociedade, as mulheres sentenciadas sonham com uma chance de recomeçar a vida fora das grades. Neste final de semana, as 54 detentas do Presídio Alvorada, em Montes Claros, fizeram uma festa em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.
O evento teve atividades de ressocialização, como um curso de maquiagem, e também a seletiva local do Miss Prisional 2017, concurso que escolhe as detentas mais bonitas de Minas Gerais. Durante a festividade, as mulheres receberam visita dos familiares e puderam ficar com os filhos. Também esteve na festa a deputada federal Raquel Muniz, que integrou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Sistema Carcerário no primeiro semestre de 2016, visitando e avaliando condições e irregularidades de penitenciárias em todo o Brasil. 
Na penitenciária, as detentas têm a oportunidade de participar de cursos profissionalizantes, como de cabeleireiro, corte e costura, maquiagem e pintura. A continuidade dos estudos é importante para que elas possam ter uma fonte de renda e se sintam parte da sociedade quando deixarem a prisão, conta Raquel. “Nós temos que dar condições para que os apenados se ressocializem e voltem a ter uma vida longe do crime”, diz. 
As mulheres mostraram as habilidades aprendidas no curso maquiando a deputada.“Foi um encontro muito lindo e emocionante. A vida delas não é fácil, atrás das grades fazem planos para corrigir o passado e terem um futuro. Elas erraram, estão pagando e precisam de uma mão amiga para se recuperarem”, afirma Raquel. 
Humanização para as mães sentenciadas
Na última quarta-feira (8), quando manifestações pelo mundo inteiro reivindicaram os direitos das mulheres, um projeto de lei que impede que detentas permaneçam algemadas durante o trabalho de parto e também no período de amamentação foi aprovado na Câmara dos Deputados. O PL 4176/15 foi apresentado pela Bancada Feminina, da qual Raquel faz parte,  e segue para votação no Senado Federal. 
Segundo Raquel, única mulher a integrar a comissão parlamentar de visita às penitenciárias, a análise do sistema carcerário na CPI levantou problemas como a superlotação dos presídios e a revista feminina vexatória. A deputada reforçou a importância de se elaborar projetos que contemplem as mulheres encarceradas.
“As mulheres são diferentes dos homens. Elas têm especificidades, são mães, muitas vezes vão para o presídio grávidas, precisam amamentar, ficam menstruadas e precisam de políticas públicas que as atendam diretamente. Elas recebem menos visitas que os homens, por exemplo, e muitas vezes são afastadas da família. Por isso, estamos pensando em outros projetos de lei que possam melhorar as condições das mulheres presas”, afirma. 

Câmara dos Deputados promove degustação de queijos mineiros

Evento foi articulado pelo presidente interino Fábio Ramalho (PMDB) e terá a participação do governador Fernando Pimentel (PT)