sábado, 21 de janeiro de 2017

Gravação revela ameaça a governador do Estado

1

“Vai chorar, e muito, antes de morrer”, teria dito um dos detentos de Alcaçuz
NATAL. A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, localizada em Nísia Floresta, na Grande Natal (RN), chegou nessa sexta-feira (20) a seu sétimo dia de rebelião. Pela manhã, o clima chegou a ser de relativa tranquilidade, mas o motim foi retomado após a saída da maior parte dos batalhões de operações especiais, que entraram no local no fim da tarde de quinta-feira. Com o término da operação, os pavilhões das unidades prisionais voltaram a ser controlados pelos detentos.
Também nessa sexta-feira (20), a coluna “Esplanada”, do jornal “O Dia”, noticiou que a polícia interceptou uma gravação na qual um dos detentos ameaça o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), de morte. “Esse governador vai chorar, e muito, antes de morrer”, teria dito um dos presos, segundo a coluna.
Em Brasília, uma reunião foi convocada no Palácio do Planalto, quando um balanço da situação do Estado – e de outros problemas de segurança pública enfrentados no país – foi feito. Ficou decidido que o ministro da Defesa, Raul Jungmann, iria acompanhar o início da operação na qual pelo menos 1.800 homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica vão atuar no patrulhamento das ruas da cidade e redondezas, até o próximo dia 30.
Celulares. O conflito entre as facções Primeiro Comando da Capital (PCC) e Sindicato do Crime do RN já contabiliza 26 detentos mortos. Na manhã dessa sexta (20), os presos promoveram um culto religioso. Sem a presença de integrantes do PCC, separados em um dos pavilhões, os detentos utilizaram cadeiras de plástico, caixa de som, microfone e violão. A Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania informou que o material é dos próprios presos. Do lado de fora era possível ouvir os cânticos de louvor. O culto também teve leituras bíblicas.
Depois, alguns presos voltaram a subir nos telhados e utilizaram telefones celulares livremente, já que os bloqueadores foram desativados, para não interferir no trabalho da polícia, que reforça o patrulhamento na área externa.
Também nessa sexta-feira (20) à tarde, policiais retiraram mais três feridos, que seriam membros do PCC. Eles foram colocados em macas pelos companheiros, puxados por policiais e socorridos das guaritas, já que a entrada da unidade estaria sob controle do Sindicato do Crime. Outros três detentos já tinham deixado o local em ambulâncias na noite dessa quinta-feira (19) após a entrada do Batalhão de Choque.
Como na última quarta a violência ultrapassou os muros das penitenciárias, com a ocorrência de 38 ataques, sendo 34 de incêndios e princípios de incêndio contra veículos e uma delegacia, além de quatro ocorrências de disparos de arma de fogo contra prédios públicos, a população registrou nessa sexta-feira (20) mais um dia (o terceiro) sem transporte público. Os veículos chegaram a circular em alguns momentos, mas acabaram retornando às garagens.
Táxis e ônibus escolares estão autorizados a fazer lotação e se tornaram uma opção para a população.
‘Verbalização’
Semântica. O secretário da Justiça e da Cidadania do RN, Wallber Virgolino, disse que o contato do Estado com membros do PCC para a retomada de Alcaçuz foi uma “verbalização”, e não “negociação”.


FORÇA-TAREFA

Equipes de outras cidades darão reforço

NATAL. Os militares de Exército, Marinha e Aeronáutica enviados pelo governo federal já deram início ao processo de reconhecimento dos locais onde irão trabalhar nos próximos dias. No entanto, ainda não foi definida a data de início da chamada “varredura” dos presídios pelas tropas.
A operação em Natal será capitaneada pelo general Jayme Octávio de Alexandre Queiroz, comandante da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada, de Natal. Equipes de Recife, Fortaleza, Garanhuns e Petrolina também estão sendo deslocadas para reforçar o patrulhamento.
Ao longo da operação, mais de 2.000 mil homens farão o patrulhamento nas ruas. A Paraíba também poderá contribuir com pessoal. O pessoal do Exército em Natal foi deslocado para executar a missão de garantia da lei e da ordem e vai atuar no que está sendo chamada de “operação Potiguar 2”, que permite que militares atuem com poder de polícia no patrulhamento.


Clássico estadual é adiado a pedido da Polícia Militar

NATAL. O motim na Penitenciária Estadual de Alcaçuz fez o clássico estadual entre ABC e América, previsto para este domingo (22), ser adiado – a data ainda será definida.
A PM alegou não ter condições de oferecer segurança ao duelo, e enviou ofício à Federação Norte-Rio-Grandense de Futebol pedindo o adiamento e alegando que “o efetivo policial militar, incluindo o especializado, está sendo empregado em diversas áreas da região metropolitana, quase na totalidade na contenção do clima de instabilidade gerado pelo motim de apenados ocorrido em Alcaçuz”.
Já a Polícia Civil prendeu nessa sexta-feira (20) Maciel Cavalcante da Silva, suspeito de atear fogo, nessa terça-feira (19), a veículos na garagem da Prefeitura de São Paulo do Potengi, a 80 quilômetros de Natal.

Câmara dos Deputados promove degustação de queijos mineiros

Evento foi articulado pelo presidente interino Fábio Ramalho (PMDB) e terá a participação do governador Fernando Pimentel (PT)