segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Dois detentos ficam feridos durante motim em presídio

Presídio

Tumulto foi controlado após a chegada da Polícia Militar

Pouco depois da virada para o Ano-Novo, na madrugada desse domingo (1), detentos do presídio de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, iniciaram um motim. A confusão só foi controlada após a ação dos agentes do Comando de Operações Especiais (Cope) com o apoio da Polícia Militar (PM). Dois presos ficaram feridos, mas não correm risco de morrer.

De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), o tumulto foi contido por volta da 1h30. Um agente penitenciário que atua no presídio e que pediu anonimato contou que, no momento, havia só oito agentes penitenciários no local e, por isso, foi necessário reforço da PM.

“Isso é algo comum nesta época do ano. Os detentos não querem ficar presos. Rapidamente a confusão foi contida, e, agora, a rotina já está normalizada no presídio”, afirmou o funcionário. Ele contou que a unidade tem aproximadamente 120 presos, e, conforme a Seap, a capacidade é para 97.

A pasta informou, por meio de nota, que a direção da unidade vai instaurar um procedimento interno para apurar se houve alguma falta funcional por parte dos agentes penitenciários. Caso fique comprovado que houve alguma atitude irregular, o fato será comunicado ao juiz da Vara de Execução Penal.

Greve. Em sua edição de sábado, O TEMPO mostrou a ameaça de uma paralisação dos agentes penitenciários contratados em Minas. A categoria está insatisfeita com a forma como o governo do Estado está fazendo a substituição dos servidores contratados por concursados. Hoje, são 17,9 mil agentes penitenciários no sistema, sendo 8.300 efetivos e 9.600 com contratos, que serão substituídos. Atualmente, 6.500 aguardam nomeação.

Após o Natal, 500 funcionários do sistema prisional foram demitidos e não foram substituídos de forma imediata, o que causou a revolta da categoria, que alega estar sobrecarregada, uma vez que há um déficit de 5.100 postos. A possibilidade de uma greve gerou preocupação em diretores das unidades prisionais, uma vez que a greve aumentaria a possibilidade de eclosão de rebeliões.

Apesar disso, a Seap informou nesse domingo (1) que a rotina dos presídios de Minas Gerais segue normal.
Feridos. Os dois presos que ficaram feridos durante o motim receberam atendimento médico e passam bem. De acordo com a Secretaria de Estado de Administração Prisional, ambos tiveram alta.

Governo de MG diz que 88% dos servidores receberam duas parcelas do salário

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda informou que o estado trabalha para pagar os últimos 12% 'o quanto antes'