sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Tribunal de Contas do Estado vai comprar 24 carros novos por R$ 1,98 milhão

Resultado de imagem para cadê a crise?
Em meio à crise que se encontra as finanças do Estado, o Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE-MG) vai comprar 24 veículos novos neste mês, ao custo de quase R$ 2 milhões. A justificativa para a compra é economizar em manutenção com a frota atual, que possui carros com mais de 20 anos.


O edital da licitação prevê a compra de 16 automóveis do tipo sedan, com motores que possuam potência mínima de 140 cavalos (lote 1); quatro sedans com motorização 1.3 ou superior (lote 2); e quatro mini-vans, motor 1.8, com capacidade para sete passageiros (lote 3). Todos os veículos devem possuir o sistema ABS e EDB, air-bag, ar-condicionado, película de proteção solar nos vidros, motores flex e a cor preta. Apenas os 16 sedans devem possuir “sistema multimídia com navegador de localização por GPS em português”.

Na justificativa para a compra, o TCE-MG argumenta que utiliza os veículos de sua frota para atender autoridades, servidores e funcionários nos deslocamentos entre suas unidades, nas visitas técnicas e participação de eventos. “Para tanto, possui veículos com quilometragens elevadas e ano de fabricação e modelos variando de 1994 a 2010, o que retrata maior probabilidade dos veículos apresentarem defeitos, desgastes e quebras de componentes e peças, afetando diretamente os gastos com manutenção preventiva e corretiva”, explica o edital.

Pesquisa de mercado feita pela Corte para subsidiar o edital estima que cada unidade do sedan do lote 1 custe cerca de R$ 91,9 mil; do lote 2, R$ 53, 5 mil; e do lote 3, R$ 74,5 mil. Se os preços do levantamento se confirmarem, o Tribunal vai desembolsar R$ 1,98 milhão.

Inicialmente marcado para o último dia 25 de novembro, o pregão eletrônico foi remarcado para o dia 13 após a empresa Bluebox Serviços Administrativos Ltda. apresentar pedido de impugnação do edital.

A empresa argumentou que a exigência de “motorização mínima de 2.0” para os carros do lote 1 era tecnologicamente ultrapassado, já que as montadoras estão realizando a redução dos motores com o aumento da potência (downsizing), e que essa motorização gastaria mais combustível e causaria mais poluição. O TCE acatou o pedido da empresa na íntegra e mudou esse trecho no edital, retirando até mesmo os veículos de referência para cada lote. (Humberto Santos)
http://www.otempo.com.br/hotsites/aparte

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...