Parecer da Justiça Eleitoral de Minas rejeitou as contas de campanha do prefeito eleito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, informa O Globo.
A análise concluiu que a alegada negociação de um apartamento por Kalil, que teria resultado na transferência de 2,2 milhões de reais para a campanha, nunca existiu — a história já havia sido revelada por O Antagonista.
O parecer segue para o Ministério Público Eleitoral e, sem seguida, para decisão da Justiça Eleitoral.