sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Mesmo com a Cidade Administrativa, Estado aumenta despesas com aluguéis em 70,5%

4
O valor gasto pelo governo de Minas Gerais com contratos de aluguel aumentou 70,5% desde 2011. Na época, eram desembolsados R$ 42,81 milhões para o pagamento de locação de imóveis. Hoje, a quantia chega à cifra de R$ 73,09 milhões. Os dados foram repassados pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag).

Em 2010, houve a inauguração da Cidade Administrativa. Uma das justificativas para a criação do complexo era a de que a concentração de servidores num mesmo local iria ajudar a diminuir a quantia empenhada anualmente com locação de prédios. No entanto, os valores aumentaram, e muito, de lá para cá. A evolução dos gastos do Estado com imóveis começou em 2011, quando R$ 42,81 milhões foram destinados para pagar aluguéis.
Ainda segundo os dados repassados pela secretaria, R$ 46,95 milhões foram desembolsados em 2012, no governo de Antonio Anastasia (PSDB), para quitar a rúbrica. No ano seguinte, o valor subiu para R$ 56,03 milhões. E, em 2014, quando Alberto Pinto Coelho (PP) terminou a gestão iniciada por Anastasia, foram repassados R$ 62,88 milhões para o pagamento de locação de imóveis.
Ao assumir o governo de Minas em janeiro de 2015, a equipe do governador Fernando Pimentel (PT) chegou a criticar os gastos das gestões tucanas com aluguéis, já que a Cidade Administrativa teria sido criada, justamente, para reduzir esse custo. Porém, desde que o petista assumiu o governo, os valores também aumentaram. No ano passado, foram despendidos R$ 71,18 milhões para a locação de imóveis. E, até 13 de dezembro deste ano, a quantia gasta pelo governo com os aluguéis chegou à cifra de R$ 73,09 milhões.
De acordo com a pasta, atualmente, há 618 contratos vigentes de locação de imóveis. Esses prédios estão distribuídos em 185 municípios, como a capital mineira, Governador Valadares (cidade do Vale do Rio Doce) e Uberlândia (localizada no Triângulo Mineiro).
Questionada, a Seplag, por meio de sua assessoria de imprensa, justificou a ampliação deste tipo de despesa pela valorização imobiliária. “O aumento do valor gasto com locação de imóveis, no período de 2014 a 2016, deve-se, principalmente, aos reajustes inflacionários, mesmo com o esforço de racionalização no quantitativo de imóveis alugados”, disse a secretaria em nota. (Fransciny Alves)

Deputado defende intervenção militar no Brasil

Para Cabo Daciolo (PTdoB-RJ), Congresso Nacional deveria ser extinto para Exército tomar o poder