quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

'Governo federal ainda não percebeu a gravidade da crise', disse Pimentel sobre dívidas dos estados

Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, é contra as contrapartidas propostas pelo Governo Federal sobre dívidas dos estados. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Governador de MG fez declaração um dia após Temer vetar parcialmente projeto que propõe renegociação. Para ele, contrapartidas são 'descabidas'.

Eu creio que o governo federal ainda não percebeu a gravidade da crise nos estados”, disse o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), nesta quinta-feira (29), um dia após o presidente Michel Temer (PMDB) vetar parte do projeto de renegociação das dívidas estaduais.
Temer vetou o trecho que estabelecia um regime de recuperação fiscal, que, para ele, “tornou-se mais ou menos inútil”, já que as contrapartidas foram retiradas. Ao justificar no "Diário Oficial", o presidente disse que, na forma aprovada pelo Congresso Nacional, a sanção integral ao projeto traria "elevado risco fiscal para a União".
Entre as contrapartidas, estavam a aprovação de leis pelos estados para adiar reajustes de servidores, reduzir incentivos tributários e aumentar contribuição previdenciária dos funcionários públicos.
Em um áudio divulgado pela assessoria de imprensa do governador, Pimentel discordou das medidas propostas pela União. “Vamos continuar dialogando com o governo federal, com outros governadores, para buscar caminhos que possam ajudar os estados, porém, sem exigências descabidas”.
Temer disse que vai negociar com cada estado para verificar as dificuldades e as possíveis contrapartidas.