terça-feira, 4 de outubro de 2016

Violência no Brasil mata mais que guerras na Síria e no Iraque

Resultado de imagem para violência

País teve 56 mil homicídios em 2015, mais que o dobro dos dois países juntos, diz ONG

As imagens de mortos e feridos na guerra na Síria chocam. Porém, mais chocante ainda é descobrir que, em 2015, a violência no Brasil matou mais pessoas, em números absolutos, do que as guerras da Síria e do Iraque juntas. Os dados são do relatório “Monitoring Trends in Violent Deaths”, da organização suíça Small Arms Survey, divulgados nessa segunda-feira (3).

De acordo com o documento, os conflitos na Síria mataram 27,5 mil pessoas, enquanto os do Iraque, 17 mil, em 2015. No Brasil, as mortes violentas totalizaram 56,5 mil no mesmo período. “Dos 20 países com as taxas mais altas, só nove foram afetados por conflitos armados no período observado, o que ressalta o fato de que as mortes causadas por violência não são um problema somente nos países afetados por conflitos abertos”, analisam os pesquisadores no documento.

Depois do Brasil, a Índia aparece como o segundo país com mais vítimas fatais causadas pela violência: 36 mil. Em terceiro lugar vem a Nigéria, que contabilizou 28 mil mortos pela violência. Ainda segundo o documento, 83% das vítimas da violência perdem a vida em países fora de zonas de conflito.

O relatório aponta uma tendência crescente de mortes violentas pelo mundo, apesar de o número global de homicídios estar caindo, principalmente na África Central e Ocidental, no Sul da Ásia e também no Caribe. Já a América Latina está indo contra essa tendência mundial, junto com o sul da África.

“Diante da Agenda para um Desenvolvimento Sustentável 2030, adotada pela ONU em 2015, todos os países se comprometeram a buscar a redução da violência. A chave aqui será, não só a habilidade dos países para desenvolver políticas e programas específicos para reduzirem seus tipos e níveis de violências, mas também os esforços coletivos da comunidade internacional para prover apoio político para as regiões mais afetadas”, conclui o relatório.

Síria. Desde 2011, já morreram na guerra civil entre rebeldes e o regime do ditador Bashar al-Assad 300 mil pessoas, segundo balanço do Observatório Sírio de Direitos Humanos divulgado em 16 de setembro.


Dono de academia executa namorada e se suicida

Goiânia. O dono de uma academia matou a namorada e, em seguida, cometeu suicídio ontem, no Jardim Curitiba II, em Goiânia. Os corpos de Rogério Ferreira Alves e Dayely Fonseca foram encontrados na casa do homem, que fica nos fundo do estabelecimento. As informações são do portal G1.

Funcionários que não quiseram ter a identidade relevada contaram que a academia estava aberta quando o crime aconteceu. “Foi uma outra mulher que trabalha aqui que achou os corpos na casa dele. Ninguém percebeu nada de estranho até então”, disse uma jovem.

Segundo a polícia, o homem atirou três vezes contra a namorada e, em seguida, se matou. “A mulher não morava na casa. Pelo que testemunhas nos relataram, eles já tinham terminado o relacionamento uma vez e agora estavam tentando reatar”, disse o delegado Danilo Broton. Os dois davam aulas de musculação na academia. Ainda não se sabe o que motivou o crime. O Corpo de Bombeiros chegou a ser chamado para socorrer os dois, mas eles já estavam mortos.


MARANHÃO

Identificados 93 suspeitos de ataques

São Paulo.O governo do Maranhão informou que já identificou 93 pessoas envolvidas nos ataques da última semana na região metropolitana de São Luís. Ônibus e escolas foram incendiados. Entre os envolvidos estão 35 detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas. As informações são da Agência Brasil.

Apontados como mandantes dos ataques, 23 deles foram transferidos para o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A permanência dos presos na unidade é por tempo indeterminado.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os ataques dos últimos dias são “chantagens à gestão prisional” com o objetivo de “restabelecer o caos no Sistema Penitenciário do Maranhão”.

Segundo a secretaria, outros presos já foram identificados e serão autuados em flagrante por organização criminosa. Os ataques, entretanto, não prejudicaram o andamento das eleições municipais.

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...