segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Polícia realiza condução coercitiva por espancamento de estudante

hangar, espancamento, estudante

Estão sendo cumpridos três mandados de condução coercitiva e outros cinco de busca e apreensão nas casas dos suspeitos

A Polícia Civil cumpriu, na manhã desta segunda-feira (10), três mandados de condução coercitiva e outros cinco de busca e apreensão nas casas dos suspeitos de espancar o estudante de medicina Henrique Papini, de 22 anos, a 500 metros da boate Hangar, no bairro Olhos d'Água, na região do Barreiro. 
O suspeito Hélio Alberto Borja Brum estava em casa, no bairro Belvedere, na região Centro-Sul, quando o delegado Flávio Grossi chegou ao local. Na residência, o delegado procurou a jaqueta que o jovem teria usado no dia do espancamento. O celular de Brum também foi apreendido.
O crime aconteceu no feriado do dia 7 de setembro deste ano e teria sido motivado por um envolvimento amoroso entre Papini e uma ex-namorada do principal suspeito de iniciar a confusão, Rafael Bicalho, de 19 anos.
O estudante de medicina teria sido agredido por pelo menos quatro jovens.  Ele sofreu hemorragia cerebral, fratura nos ossos da face, traumatismo craniano e lesões pelo corpo e chegou a ficar no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do hospital Biocor, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte. O delegado Flávio Grossi, responsável pelas investigações, informou anteriormente ao TEMPO sobre a possibilidade de indiciar o suspeito por tentativa de homicídio. Papini teve sequelas após o espancamento. Ele não escuta do lado esquerdo e teve paralisia facial. 
Rafael Bicalho foi detido no dia 16 de setembro em decorrência de um processo relacionado à Lei Maria da Penha. Ele teria agredido a mesma ex-namorada em setembro do ano passado durante uma discussão, após uma festa. O suspeito foi liberado Penitenciária José Maria Alkimin, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, no dia 26 de setembro. Desde então, o suspeito usa tornozeleira eletrônica e necessita seguir orientações do magistrado, em um processo que corre em segredo de Justiça.
A Polícia Civil esteve também na residência de Rafael Bicalho para cumprir mandado de busca e apreensão, também no Belvedere. O jovem foi intimado a comparecer à delegacia. Segundo o delegado Flavio Grosso, um pedido de prisão contra o jovem foi feito, mas a requisição foi negada pela Justiça.
Os conduzidos devem ser ouvidos na 4ª Delegacia de Polícia do Barreiro pela equipe do delegado Flávio Grossi. 

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...