segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Servidores da UFMG fazem manifestação na Pampulha, em BH

Técnicos administrativos da UFMG fazem protesto na porta da universidade em Belo Horizonte (Foto: Reprodução/TV Globo)

Segundo sindicato, estudantes também participam de ato na Antonio Carlos.
Técnico-administrativos da universidade estão em greve desde agosto.

Servidores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) fazem manifestação na manhã desta segunda-feira (12) na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar (PM), por volta de 8h40, cerca de 80 pessoas estavam na Avenida Antonio Carlos, na altura da Escola de Belas Artes (EBA), deixando os veículos trafegarem somente em uma faixa no sentido Centro.
Às 10h, a corporação informou que a via estava liberada. Segundo Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino (Sindifes), no horário, aproximadamente 400 manifestantes estavam na portaria da universidade.
Conforme o sindicato, o ato é em defesa da universidade pública e gratuita e contra a PEC 241, que está em tramitação na Câmara dos Deputados e pretende instituir um novo regime fiscal. A categoria se manifesta ainda contra os cortes nas áreas da educação e saúde.
Servidores técnico-administrativos em educação da UFMG estão em greve desde agosto. De acordo com o Sindifes, professores e estudantes também participam do protesto desta segunda. OG1 entrou em contato com a universidade e aguarda um retorno.
Orçamento menor em 2017
A previsão do orçamento das universidades federais para o ano que vem é 15,2% menor que o orçamento previsto de 2016. Publicado no Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle (Simec), o valor de recursos previstos para a rede de institutos e universidades federais é de R$ 6,7 bilhões. Em 2016, o valor previsto era de R$ 7,9 bilhões. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério da Educação, a previsão para 2017 equivale ao orçamento real atual do MEC, após a recuperação de metade dos recursos contingenciados durante o ano.

Em nota, o MEC informou que "as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) tinham orçamento previsto [na lei orçamentária] de 2016 no valor de R$ 7,9 bilhões. No entanto, a programação orçamentária do governo anterior determinou um corte de 31%, correspondente a R$ 2,4 bilhões. O que significava orçamento real de R$ 5,5 bilhões. A atual gestão resgatou a execução orçamentária para os IFES em 15%, ampliando em R$ 1,2 bilhão o orçamento deste ano."

Governo de Minas admite que ainda não tem dinheiro para pagar o 13º dos servidores neste ano

Em entrevista exclusiva à Rádio Itatiaia, o secretário de Planejamento de Minas Gerais, Helvécio Magalhães, afirmou que a prioridade do go...