terça-feira, 6 de setembro de 2016

Policial civil é preso por participar de homicídio em Venda Nova

FC_20160905_006.jpg

O investigador de 54 anos participou de um homicídio no dia 13 de julho deste ano no Aglomerado do Borel; na época, suspeitos vestidos de policiais invadiram uma festa e mataram um e feriram outras três pessoas

A ficha criminal de um policial civil de 54 anos, que já tinha passagens por lesão corporal, disparo de arma de fogo e crimes contra a administração pública, está prestes a ganhar mais alguns registros. Conforme a Polícia Civil, o investigador, que não teve o nome revelado, responderá por homicídio qualificado e outras três tentativas de homicídio, após ter participado de um crime por disputa pelo tráfico de drogas entre duas facções criminosas do aglomerado do Borel, no bairro Serra Verde, em Venda Nova, na capital.
Na ocasião, um adolescente de 17 anos foi morto e outras três pessoas ficaram feridas após suspeitos vestidos como policiais invadirem uma festa. A prisão aconteceu durante uma operação que envolveu cerca de 60 policiais civis, na última quarta-feira (31). Além do policial, também foram detidos outros três autores, de 22, 24 e 54 anos. Outros três suspeitos do crime ainda estão foragidos.
“Infelizmente, teve a participação de um policial civil nessa empreitada criminosa. Várias testemunhas o reconheceram. Ele compareceu junto com os demais autores e ficou do lado de fora armado, fazendo a escolta, enquanto alguns dos suspeitos efetuaram os disparos”, explicou o delegado Sérgio Paranhos.

De acordo com a Polícia Civil, na madrugada do dia 13 de julho, um imóvel na “Parte Alta” do aglomerado foi invadido por um grupo de traficantes da “Parte Baixa”. Fortemente armados, com coletes a prova de balas e vestidos com camisas da corporação, os suspeitos se identificaram como policiais civis e fizeram disparos contra um homem de 23 anos, e outros três adolescentes, de 16 e 17 anos.
O adulto teve 29 perfurações no corpo, mas não morreu. O menor de 17 anos, porém, não resistiu aos ferimentos. A polícia investiga se as armas e o uniforme usado pelos criminosos foram fornecidos pelo policial civil. 
O policial civil está detido na Casa de Custódia da Polícia Civil, que fica no bairro Horto, na região Leste de BH. 

Governo de Minas admite que ainda não tem dinheiro para pagar o 13º dos servidores neste ano

Em entrevista exclusiva à Rádio Itatiaia, o secretário de Planejamento de Minas Gerais, Helvécio Magalhães, afirmou que a prioridade do go...