sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Agente penitenciário e servidores são investigados no Rio Doce

Resultado de imagem para investigação

Judiciário local expediu dois mandados de prisão preventiva, 16 mandados de busca e apreensão, determinou o afastamento da função pública de três investigados e o bloqueio de valores de sete envolvidos

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e em parceria com as Polícias Militar e Civil, deflagrou na manhã desta sexta-feira (23), em Governador Valadares, na região do Rio Doce, a operação Bout, que visa combater o comércio ilegal de arma de fogo e munição.
A pedido do Gaeco, o judiciário local expediu dois mandados de prisão preventiva, 16 mandados de busca e apreensão, determinou o afastamento da função pública de três investigados e o bloqueio de valores de sete envolvidos.
A operação Bout é um desdobramento da operação Consórcio, deflagrada em 3 de dezembro do ano passado com o objetivo de combater o tráfico ilícito de entorpecentes em Governador Valadares. Na oportunidade, foi decretada a prisão dos envolvidos e houve apreensão de materiais.
As investigações continuaram e chegaram a dois irmãos, entre eles um agente penitenciário, que coordenava um esquema de comércio ilegal de arma de fogo e munições e praticava outros crimes, como lavagem de dinheiro, usura e falsidade ideológica. Entre os envolvidos no esquema criminoso, estão familiares do agente penitenciário e funcionários públicos.
O nome da operação faz referência a Viktor Bout, conhecido mercador russo que vendia armas de fogo e fomentava as guerras ocorrentes no oriente médio e no leste europeu e que deu origem ao filme “O senhor das armas”.

Convocação dos excedentes do CFS 2017 - PMMG

Excelentíssimo Senhor Governador do Estado de Minas Gerais. Nós, candidatos ao Curso de Formação de Sargentos da Polícia Militar de M...