quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Ministério Público apura suposta fraude em notas fiscais em Paracatu

Operação Gaeco e Polícia Militar em Paracatu (Foto: Glauber Cesar)

Vereadores e empresários da cidade são investigados pela Promotoria.
Mandados foram cumpridos em operação deflagrada nesta quinta (11).

Empresários e vereadores de Paracatu, no Noroeste de Minas, são investigados pelo Ministério Público Estadual (MPE) em um suposto fornecimento de notas fiscais fraudulentas referentes a serviços não prestados de aluguel de veículos. Denominada “Templo de Ceres”, a operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (11) e conta com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Polícia Militar.
O caso ainda está em fase de investigação e os suspeitos serão ouvidos na sede da Promotoria nos próximos dias, a fim de apresentarem versões dos fatos e provas. Detalhes sobre o conteúdo das investigações estão sob sigilo.
Durante a operação nesta manhã, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara Criminal, de Execução Penal e da Infância e Juventude da Comarca de Paracatu, a pedido do Ministério Público.
As ordens judiciais autorizaram a busca e apreensão de documentos e outras provas em empresas e residências de microempresários investigados pelo suposto esquema, na Câmara Municipal e nos gabinetes de vereadores que, na corrente legislatura, apresentaram notas das empresas suspeitas com o propósito de obterem indenização.
O caso é investigado por cinco promotores de Justiça da cidade que irão conceder, às 15h, coletiva de imprensa para novas informações do caso.

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...