segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Homens lideram ranking de falsas denúncias registradas em Uberlândia

Polícia encontra celulares furtados em mochila abandonada em mata, na Grande BH (Foto: Polícia Militar de Minas Gerais/Divulgação)

Mais de 70 registros foram feitos pela Polícia Militar nos últimos três anos.
PM alerta que comunicação falsa é crime e pena é detenção e multa.

O caso dos nadadores americanos que mentiram sobre o assalto no Rio de Janeiro e o indiciamento por denunciação caluniosa da jornalista que acusou o deputado Marco Feliciano de tentar estuprá-la foram assuntos que chamaram a atenção no Brasil na última semana. Mas crimes dessa natureza têm sido cada vez mais comuns. Só em Uberlândia, a Polícia Militar (PM) registrou 78 prisões e apreensões por comunicação falsa de crime nos últimos três anos, sendo que 85% dos crimes são cometidos por homens.
Em 2014, 33 registros da natureza ocorreram na cidade e 31 no ano seguinte. Até o fim de junho de 2016, a polícia já havia registrado 14 ocorrências. Os casos mais comuns são de celulares perdidos ou furtados em que a vítima tenta transformar em roubo para ser ressarcida pelo seguro.
Um dos casos ocorreu no dia 26 de junho quando um homem acionou a polícia informando que o celular havia sido roubado em uma casa de shows no Bairro Martins. Após verificar as imagens de videomonitoramento, constatou-se que não houve o assalto e a suposta vítima acabou admitindo a mentira porque tinha seguro do aparelho e tentava dar um golpe. Ele foi preso em flagrante.
PRISÕES E APREENSÕES COMUNICAÇÃO FALSA DE CRIME
201420152016*
33 registros31 registros14 registros
 
SexoMasculinoFeminino
% do total de autores85%15%
* Dados extraídos até o dia 30/06/2016
Outro crime de falsa denúncia foi registrado recentemente em Uberlândia após a Polícia Civil investigar um caso de violência sexual cometido no Bairro Umuarama. Uma atendente de telemarketing, de 19 anos,registrou o boletim de ocorrência informando ser vítima de sequestro e estupro por três homens. Em depoimento à polícia, ela acabou desmentindo.
Uma das linhas de investigação é de que a “vítima” tentava acobertar um relacionamento extraconjugal do marido e, por isso, mentiu o fato. De acordo com a Polícia Civil, a jovem será indiciada pela falsa denúncia.
Crime prevê detenção e pagamento de multa
O Art. 340 do Código Penal Brasileiro denomina como comunicação falsa de crime o ato de provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado. A pena prevista para o crime é de um a seis meses de detenção ou pagamento de multa.

Geralmente, o crime pode ser previsto no ato do registro de boletim por parte da vítima. O major da PM, Julio Cesar Cerizze Cerazo de Oliveira, informou que os policiais são treinados para realizar algumas perguntas e diligências que confirmem o fato criminoso. Quando a história está mal contada, faltando elementos de convicção ou foge à normalidade, os militares detectam a falsa denúncia e dão voz de prisão em flagrante ao autor.
Segundo o major, se trata de uma questão de conscientização e cidadania. “Enquanto uma guarnição policial está perdendo tempo com pessoas querendo levar vantagem, se fazendo de vítima, outras centenas de pessoas deixam de ter o policiamento preventivo em duas ruas e bairros”, comentou.

PM apreende quase 60 celulares de origem duvidosa em shopping popular de BH

Quase 60 celulares de origem duvidosa foram apreendidos por policiais militares em box no shopping Xavantes, no Centro de Belo Horizonte,...