sexta-feira, 8 de julho de 2016

Polícia investiga se sumiço de adolescente em Nova Lima é rapto

desaparecida, nova lima

Até o momento, delegado a frente do caso já ouviu 20 pessoas; menina tem 15 anos; pais já fizeram apelo para ela voltar para casa

A Polícia Civil trabalha, atualmente, com duas linhas de investigação para o sumiço de Ana Paula Carvalho, de 15 anos, desaparecida desde o dia 25 de junho: desaparecimento e rapto. A menina não foi mais vista ao sair do condomínio onde mora com a família, em Nova Lima, na região metropolitana, para esperar o pai de uma amiga que a buscaria no ponto de ônibus às margens da BR-040. Ela disse que iria comemorar o aniversário do namorado da colega na casa dela. 
Até o momento, o delegado Fernando Marins já ouviu 20 pessoas, entre familiares e amigos de Ana Paula. Na tarde desta sexta-feira (8), mais pessoas irão depor.

Veja o vídeo:

Relembre o caso
Quando Luciene chegou do serviço, por volta de 12h, Ana Paula já havia lavado todas as roupas dela e, após conversar com a mãe, como sempre fazia, pediu para ir à casa da amiga. "Eu disse que tudo bem, ela já tinha costume de ir, não tinha nada de mais, estava tudo tranquilo, normal. Ela estava feliz, alegre", contou a mãe.
A menina foi para o ponto de ônibus localizado em frente ao condomínio para esperar o pai da amiga, por volta das 17h40, mas não estava mais lá quando ele chegou, em torno das 17h55. "Tudo aconteceu em questão de minutos, ela chegou na portaria e evaporou, ninguém mais viu, não tem explicação. Se ela tivesse sido sequestrada, acho que eles já teriam entrado em contato com a gente, mas ninguém ligou para poder pedir nada. Creio também que ela não tinha motivo para fugir de casa".
Para ela, a filha está em alguma local no bairro Jardim Canadá ou no distrito Macacos. "Meu pressentimento é de que ela está por perto, meu coração de mãe diz isso, e estou muito confiante, com muita fé em Deus que ela vai aparecer", pontuou. Enquanto isso, a saudade se tornou a principal companhia da mãe, que imagina a todo o momento a cena de Ana Paula entrando em casa. "A única coisa que eu quero é abraçar e não largar minha filha, ver ela chegar aqui de braços abertos para mim. A dor é muito grande e não estou aguentando mais ser forte", disse, aos prantos, em um choro profundo que parece ter sido segurado durante toda a conversa, antes de ser confortada pelo abraço do marido.
Saiba como ajudar
Quem tiver alguma informação sobre Ana Paula pode entrar em contato com a Polícia Civil pelo telefone 0800 2828 197. Não é preciso se identificar.
Atualizada às 11h22
O Tempo

Governo de Minas admite que ainda não tem dinheiro para pagar o 13º dos servidores neste ano

Em entrevista exclusiva à Rádio Itatiaia, o secretário de Planejamento de Minas Gerais, Helvécio Magalhães, afirmou que a prioridade do go...