terça-feira, 26 de julho de 2016

Justiça autoriza transexual de Contagem a trocar nome e sexo no RG

carteira de identidade

'Não há razão para entender que o sexo biológico deva prevalecer sobre o psicológico', decidiu o juiz da 3ª Vara de Família e Sucessões; beneficiada também fará cirurgia para mudança de sexo pelo SUS

Uma transexual de Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, obteve na Justiça o direito de trocar o sexo e o nome no registro civil. “Não há razão para entender que o sexo biológico deva prevalecer sobre o psicológico", proferiu o juiz da 3ª Vara de Família e Sucessões, Ricardo Vianna da Costa e Silva.
A transexual se identifica como mulher desde criança, e, na juventude, iniciou o processo de adequação sexual, com acompanhamento clínico e uso de hormônios. Atualmente, ela aguarda autorização para a cirurgia de mudança de sexo pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Ela procurou a Justiça por sofrer transtornos e situações vexatórias ao ser identificada documentalmente com nome masculino. Em testemunho, colegas de trabalho e de faculdade dela relataram que a maneira de agir, vestir-se e ser da transexual é própria de uma mulher. Entretanto, ela é cotidianamente discriminada pela divergência entre a identidade que o registro civil lhe atribui e a que ela vive física e psicologicamente.

Para o juiz Costa e Silva, condicionar a alteração do registro civil à cirurgia de redesignação sexual é prolongar o sofrimento delas.

O magistrado ainda citou exemplos de decisões do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul que autorizaram a retificação de nome e sexo do registro civil de transexuais com base no princípio constitucional da dignidade da pessoa humana. 
Para resguardar a parte, o nome e número do processo não serão divulgados.

PM apreende quase 60 celulares de origem duvidosa em shopping popular de BH

Quase 60 celulares de origem duvidosa foram apreendidos por policiais militares em box no shopping Xavantes, no Centro de Belo Horizonte,...