sexta-feira, 8 de julho de 2016

Julgamento de Bola por mais um homicídio entra no 2º dia

Julgamento Bola 2º dia
Entra no segundo dia, nesta sexta-feira (8), o julgamento do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado de mais um homicídio. Conforme as investigações, o réu teria sido contratado para matar um carcereiro no bairro São Joaquim, no ano de 2000. Bola já cumpre pena pelo assassinato da modelo Eliza Samudio.

A sessão começa com o interrogatório a Bola, que nega ao juiz participação no crime e afirma ainda que não conhecia a vítima nem os familiares dela. 
Na sequência, o réu seria interrogado pelo Ministério Público, mas foi orientado pela defesa a não respondê-lo.

A defesa, então, passou a interrogar o réu a respeito do conhecimento dele sobre armamento e munição, e exibe mídias de treinamento militar. 
Testemunhas 
De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), na sessão dessa quinta (7), seis testemunhas foram ouvidas, além de terem sido feitas a leitura e exibição de mídias de peças do processo.
Entre as testemunhas arroladas, duas foram ouvidas por carta precatória: em Brasília, o deputado Federal Edson Moreira (PTN), delegado que esteve à frente das investigações; e o irmão da vítima.
A sessão é presidida pelo juiz Elexander Camargos Diniz. A acusação é feita pelo promotor Daniel Saliba de Freitas; a defesa de Bola é feita, entre outros, pelos advogados Ércio Quaresma, Fernando Magalhães e Zanone Júnior. O júri é composto por quatro mulheres e três homens.
O crime
Bola teria atirado contra o carcereiro que estava dentro de uma Kombi em frente à loja de sua família no bairro São Joaquim, em Contagem. Segundo a promotoria, o ex-policial teria sido contratado para praticar o crime. O acusado foi reconhecido pela irmã da vítima que o identificou pela TV, durante as investigações do caso Eliza Samudio.
Atualizada às 10h35

Ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, teria sido contratado para matar um carcereiro no bairro São Joaquim, em 2000; na sessão dessa quinta (7), seis testemunhas foram ouvidas



Governo de Minas admite que ainda não tem dinheiro para pagar o 13º dos servidores neste ano

Em entrevista exclusiva à Rádio Itatiaia, o secretário de Planejamento de Minas Gerais, Helvécio Magalhães, afirmou que a prioridade do go...