segunda-feira, 25 de julho de 2016

Advogados denunciam juiz mineiro por abuso de poder


Em 2006, Juscelino José de Magalhães foi afastado por crimes previstos na lei da magistratura

Um juiz da comarca de Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, é acusado por representantes da Ordem dos Advogados de abuso de poder durante as audiências. Juscelino José de Magalhães também é denunciado por truculência e agressões verbais
Uma série de representações contra o magistrado foi enviada à Corregedoria e ao Conselho Nacional de Justiça por diferentes motivos. De acordo com o advogado William Júlio Ferreira, ele seria um homem violento.
— O juiz usa arma em sala de audiência. Ele a deixa aparente na cintura, como forma de intimidar os presentes.
Segundo a advogada Daniela Paula da Silva Maciel, até um código de leis teria sido usado para humilhá-la
— Ele disse que era uma burra e que era incompetente. Quando eu insisti, ele pedi que trouxesse um código e o jogou contra a minha direção.
No dia 10 de outubro de 2006, o Conselho Nacional de Justiça decidiu afastar Magalhães, então juiz da Primeira Vara de Timóteo no interior de Minas Gerais, por diversos crimes previstos na lei orgânica da magistratura e também por não cumprir prerrogativas da advocacia. Entre as várias denúncias contra ele captadas, estão o desrespeito com advogados, o descumprimento de prazos processuais, o porte ostensivo de arma de fogo, além de assédio sexual ao menor. Desde então ele presta serviços na Vara da Família do Fórum Cível de Ribeirão das Neves.
Juscelino José de Magalhães  e o Tribunal de Justiça de Minas Gerais ainda não se pronunciaram sobre o caso.

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...