quinta-feira, 19 de maio de 2016

Uberlândia recebe ambulâncias emprestadas de cidades vizinhas


Veículos de Ituiutaba e Araguari ajudarão a suprir demandas. 
O único veículo em funcionamento quebrou na quarta-feira (18)

Sem unidades de resgate necessárias para atendimento aos moradores, o Corpo de Bombeiros deUberlândia teve que recorrer a duas cidades vizinhas, Ituiutaba e Araguari, que emprestaram viaturas para dar suporte aos atendimentos na cidade. As ambulâncias emprestadas chegaram nesta quinta-feira (19). 

Das 42 viaturas do município, 60% já estão sendo utilizadas além da vida útil. Conforme o MGTV 1ª edição, em 2013, foi feita a última compra pelo Estado, quando havia 11 unidades de resgate à disposição da população na cidade. Desse número, apenas três, mesmo estragadas, ainda podem ser consertadas. Outras oito devem ser leiloadas como sucata.
Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, Demétrius Martins Rodrigues, além das ambulâncias emprestadas de Araguari e Ituiutaba, as três unidades que estavam estragadas serão reparadas e devem voltar às ruas ainda nesta quinta-feira (19).
“Esse é um exercício [remanejamento de viaturas da região] quase que diário que nós estamos fazendo. A novidade é que essa semana conseguimos convencer e teremos mais duas viaturas de Belo Horizonte. Não são viaturas novas, mas que estão sendo retiradas de outros locais e remanejadas para aportar em Uberlândia como forma de a gente ter um alívio”, explicou o comandante.
Sem resgate
Nessa quarta-feira (18), a equipe de reportagem da TV Integração flagrou um acidente com o agente de recepção Marcilon Marcos Fernandes. Ele aguardou por quase duas horas para ser encaminhado a uma unidade de saúde e só foi levado para a Unidade de Atendimento Integrado (UAI) do Bairro Pampulha por uma empresa particular, adaptada com médico, enfermeiro e socorrista.

Pela manhã, os bombeiros de Uberlândia contavam apenas com a unidade de resgate, que quebrou durante um atendimento. Porém, as cenas de vítimas de acidentes esperando viatura adequada para o transporte são cada vez mais frequentes na cidade.
Um outro acidente também foi registrado nessa quarta, onde a espera pelo resgate foi de uma hora de acordo com testemunhas. Quando os bombeiros chegaram, a viatura não tinha estrutura adequada para o transporte. A solução foi aguardar o socorro de uma ambulância da Prefeitura.
O valor de um veículo de resgate varia entre R$ 150 e R$ 200 mil. A contratação de uma ambulância particular custa, em média, R$ 500 em Uberlândia. O comandante ressaltou que aguarda a promessa de cinco deputados da região de utilizar verbas parlamentares para a aquisição de viaturas.
A produção do MGTV 1º edição pediu informações para a Prefeitura quanto à ajuda de ambulâncias no transporte de vítimas e sobre a instalação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A assessoria informou que a Prefeitura, atualmente, tem 26 viaturas para fazer o atendimento na cidade e que, nesse ano, de janeiro a abril, a média foi de seis atendimentos por dia no auxilio ao Corpo de Bombeiros. Sobre o Samu, a Prefeitura não respondeu.
A TV Integração também solicitou à assessoria do Corpo de Bombeiros, em Belo Horizonte, informações sobre a liberação de verbas para a aquisição de veículos, mas até a publicação da matéria não houve retorno.

Dupla rouba carro e bate em viatura em praça do Coração Eucarístico

O veículo foi tomado de assalto no bairro Alípio de Melo, mas os suspeitos foram surpreendidos por uma viatura, tendo início uma perseguiç...