quarta-feira, 18 de maio de 2016

Dirceu é condenado a 23 anos de prisão na Lava Jato Ex-ministro da Casa Civil está preso em Curitiba desde agosto de 2015

LAVA JATO/OPERAÇÃO PIXULECO/JOSÉ DIRCEU
O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi condenado nesta quarta-feira (18) a 23 anos e 3 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A sentença foi assinada pelo juiz federal Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná. CLIQUE AQUI para ler a decisão na íntegra.


É a segunda sentença contra Dirceu por crimes de corrupção – em 2012, ele recebeu pena no mensalão. Foram condenados ainda outros investigados, como o irmão do ex-ministro, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, que foi sentenciado a pena de oito anos e nove meses de reclusão por lavagem e pertinência à organização criminosa.
José Dirceu está preso em Curitiba desde agosto de 2015. Ele cumpria prisão em regime domiciliar, decorrente da pena no mensalão, quando foi detido pela Polícia Federal acusado de envolvimento no caso Petrobras.

Os procuradores da força-tarefa afirmaram que “no núcleo político da organização criminosa” alvo da Lava Jato, Dirceu “ocupava papel de destaque” e foi beneficiário final de valores desviados, além de ser um dos responsáveis pela criação do “complexo esquema criminoso praticado em variadas etapas e que envolveu diversas estruturas de poder, público e privado”.
A primeira condenação de Dirceu na Lava Jato trata do pagamento de R$ 56,8 milhões em propinas pela empreiteira Engevix, integrante do cartel de empresas que em conluio com políticos fatiava obras na Petrobras.
Dirceu, o ex-diretor Renato Duque, o ex-gerente Barusco e o ex-tesoureiro Vaccari foram condenados pela prática de 31 atos de corrupção passiva.

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...