segunda-feira, 16 de maio de 2016

ATENÇÃO, PASSAGEIROS Metroviários cumprem promessa e metrô para totalmente nesta segunda Categoria não cumpre escala mínima e portões das estações estão fechados; paralisação afetará, segundo a CBTU, 215 mil usuários

metrÔ
Contrariando a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para operar em escala escala mínima de 80%, a categoria dos metroviários cumpriu a promessa e paralisou totalmente as viagens na manhã desta segunda-feira (16).


Os portões e as bilheterias das estações estão fechadas e, em algumas delas, como a do Eldorado, em Contagem, na regão metropolitana da capital, militares acompanham a movimentação. A empresa Saritur disponibilizou ônibus que estão fazendo a rota Estação Eldorado/Estação Central. A linha começou a rodar 5h30 e vai fazer a rota até o fim do dia.
"No sábado, os motoristas foram avisados que íamos ter essa linha. Se a greve continuar, o serviço deve permanecer", disse o motorista Mauro Lúcio de Araújo, 48 anos, que estava na estação gritando o trajeto para os passageiros desavisados.

E não são poucos os usuários que chegaram às estações e afirmaram que não sabiam da paralisação. "Eu não fazia ideia dessa greve, estava indo trabalhar no Horto. Eu não tenho nem crédito no celular para avisar meu chefe que vou me atrasar", disse a costureira Ereny Pereira, 47.
Na estação Vilarinho, segundo os despachantes que atuam no terminal, as linhas do Move 518R e 512H tiveram atrasos de 12 minutos. "Nós colocamos mais 4 veículos para rodar, sendo três articulados e um padrão. Já estou acostumado a trabalhar quando tem greve. Já vim sabendo que hoje ia precisar de reforço", comentou Hélio Alves Cardoso, despachante do grupo Turilessa, composto por cinco empresas de ônibus.
"Eu acredito que essa greve é legítima sim. O juiz precisa entender que os metroviarios merecem o aumento, assim como as outras categorias conseguiram. Imagina se mexem no salário do juiz? Por isso que eu acho que eles estão no direito deles", completou.
"Os ônibus estão lotados. Está bem acima da média, mas não teve nenhuma confusão", declarou Ailton Ribeiro, motorista da linha 518 Terminal Vilarinho/Cidade Industrial.
A paralisação total dos grevistas afetará mais de 215 mil usuários do metrô, segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). Já conforme o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG), o número de passageiros afetados pode chegar a 240 mil. 
De acordo com a companhia, com o protesto da categoria, 275 viagens por dia não serão feitas. Os metroviários pedem aumento real de 10% e cobertura da inflação que é de 10,7%. De acordo com a presidente do sindicato, Alda Lúcia Fernandes dos Santos, a greve é por tempo indeterminado. No entanto, a categoria vai se reunir nesta tarde com o TRT para discutir a situação. Após a reunião, haverá uma assembléia. Dos 1167 sindicalizados, 90% aderiram a greve. O salário-base dos metroviários é de R$ 1.383,34.
"A nossa intenção não é peitar o TRT, mas sim a CBTU", disse a presidente.
Nesse domingo (15), por meio da assessoria, a BHTrans informou que recebeu um pedido da CBTU para reforçar o número de ônibus nas estações de integração com o metrô. A empresa confirmou a ampliação, mas não soube dizer quantos coletivos a mais circularão.  
Multa
O TRT determinou que de segunda a sexta, os trens devem rodar nos seguintes horários: entre 05h30 às 10h e 16h às 20h. Nos demais horários e no fim de semana, pelo menos 50% dos trens devem circular na capital. Caso a medida seja descumprida, uma multa no valor de R$ 100 mil será aplicada. 
Clique aqui e veja as informações de trânsito.

Atualizada às 08h39

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...