quarta-feira, 6 de abril de 2016

Em evento militar, Dilma evita falar em crise e agradece manifestantes Sob forte chuva, a presidente foi recebida por centenas de pessoas favoráveis ao PT que se reuniram em frente ao local do evento e lá entoaram gritos de "não vai ter golpe"

Dilma durante evento em Salvador
Durante evento militar nesta quarta-feira (6) em Salvador, a presidente Dilma Rousseff (PT) evitou falar em crise e impeachment, mas agradeceu o apoio de um grupo de manifestantes pró-governo presentes no porto da cidade.
Sob forte chuva, Dilma foi recebida por centenas de pessoas favoráveis ao PT que se reuniram em frente ao local do evento e lá entoaram gritos de "não vai ter golpe" e empunharam faixas com dizeres "Coragem sempre, Temer jamais".
Ao final do discurso, no qual se limitou a falar das ações do governo federal nas Forças Armadas, Dilma agradeceu aos manifestantes, dizendo que eles "se colocam aqui defendendo a democracia".
Encerrado o evento, a presidente foi cumprimentar o grupo, que a saudou com aplausos e batuques.
Em cima de um mini trio elétrico comandado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), manifestantes realizaram o ato pró-PT no local com a percussão do grupo denominado "Timbaleiros de Cristo".
A única referência ao processo de impeachment veio do governador da Bahia, Rui Costa (PT), que afirmou que um dos papéis das Forças Armadas é preservar a Constituição. "O resultado das urnas precisa ser respeitado", disse o governador baiano.
A presidente veio a Salvador para participar da cerimônia de incorporação do navio doca Multipropósito Bahia à frota da Marinha do Brasil, no porto de Salvador.
A solenidade acontece no dia em que o deputado Jovair Arantes (PTB-GO), relator da comissão de impeachment, deve apresentar parecer favorável ao pedido de impedimento da presidente Dilma.
Para receber a presidente, quatro quarteirões da região do comércio, uma das mais movimentadas da capital baiana, foram interditados desde as 5h, gerando congestionamentos durante toda a manhã.
Também participaram da solenidade o ministros da Defesa, Aldo Rebelo (PC do B), dos Portos, Helder Barbalho (PMDB), e o do gabinete pessoal da presidente, Jaques Wagner (PT).
NAVIO DOCA
Comprada pelo governo brasileiro por 80 milhões de euros, a embarcação vai substituir o navio de desembarque doca Rio de Janeiro, que será desativado.
Projetado para transportar tropas, veículos, helicópteros e munição, a embarcação vai operar em áreas oceânicas e na proteção de plataformas marítimas de petróleo.

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...