quinta-feira, 31 de março de 2016

PROTESTO PMs e BMs querem diálogo direto com governador de MG, diz associação Categorias prometem acampar em frente ao Palácio da Liberdade, sede simbólica do governo de Minas Gerais, por tempo indeterminado; escalonamento de salários é umas das reivindicações


Em protesto às últimas decisões do governo de Minas Gerais, em relação à segurança pública, como o escalonamento de salários, a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra/MG) organiza uma assembleia às 13h desta sexta-feira (1º), na praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital. A ideia é discutir as pautas de revindicações e organizar maneira de pressionar o governo, para que tenham a abertura de diálogo direto com o governador Fernando Pimentel.
"Nós tivemos quatro contatos com secretários de Estado para abrir negociação e tivemos negativas e imposição. Agora, estamos tentando um diálogo direto com o governador", afirmou o diretor jurídico da Aspra, o cabo da PM, Berlinque Cantelmo.
A intenção das categorias é fazer uma passeata até o Palácio da Liberdade, sede simbólica do governo de Minas Gerais, na mesma região, onde pretendem acampar, por tempo indeterminado.
Além de manifestar contra a manutenção do escalonamento de salários, as categorias são contra a proibição de concessão de novos aumentos salariais para os servidores estaduais por pelo menos dois anos; a não nomeação de novos servidores, exceto para reposição de aposentados e falecidos; ainda o grupo pede pela aprovação de uma Lei de Responsabilidade Fiscal pelos Estados; pela instituição de um regime de previdência complementar para os servidores estaduais; e querem aumento gradual, de 11% para 14%, na contribuição previdenciária paga aos servidores.
Por meio de nota, a Polícia Militar informou que não se manifesta em relação à reclamação da Aspra pela dificuldade de diálogo. Ainda no comunicado, a corporação informou que está ciente da manifestação e fará policiamento durante o ato.   
Veja a nota na íntegra:
"Prezada Jornalista Fernanda Viegas, boa tarde!
Incumbiu-me o Sr Capitão Santiago chefe da sala de Imprensa em enviar a seguinte nota:
Quanto a primeira pergunta  a Polícia Militar não se manifesta, a pergunta deve ser feita para as associações.
A segunda pergunta a Policia Militar está ciente da manifestação fará o policiamento do evento como qualquer outro grupo de manifestação, garantindo a segurança e a ordem pública.

Att,

Sala de Imprensa"
Saúde
Trabalhadores da área de saúde do Estado devem cruzar os braços no próximo dia 13 de abril, com indicativo de greve. A decisão foi tomada em audiência da categoria realizada na manhã dessa quarta-feira (30), no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte.
O Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde) alega que irá cumprir com a legislação e fazer uma escala mínima de trabalho, neste dia, quando 30% da categoria permanecerá em atendimento.
A medida foi tomada como forma de pressionar o governo a atender as reivindicações dos trabalhadores. Entre as exigências da categoria estão o reajuste salarial, a recomposição do índice de inflação de 20%, a mudança da data base para o mês de abril - igual a outros trabalhadores, segundo o sindicato - e a reestruturação do plano de carreira.

Atualizada às 14h36

Dupla rouba carro e bate em viatura em praça do Coração Eucarístico

O veículo foi tomado de assalto no bairro Alípio de Melo, mas os suspeitos foram surpreendidos por uma viatura, tendo início uma perseguiç...