quinta-feira, 31 de março de 2016

PROTESTO PMs e BMs querem diálogo direto com governador de MG, diz associação Categorias prometem acampar em frente ao Palácio da Liberdade, sede simbólica do governo de Minas Gerais, por tempo indeterminado; escalonamento de salários é umas das reivindicações


Em protesto às últimas decisões do governo de Minas Gerais, em relação à segurança pública, como o escalonamento de salários, a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra/MG) organiza uma assembleia às 13h desta sexta-feira (1º), na praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. no bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul da capital. A ideia é discutir as pautas de revindicações e organizar maneira de pressionar o governo, para que tenham a abertura de diálogo direto com o governador Fernando Pimentel.
"Nós tivemos quatro contatos com secretários de Estado para abrir negociação e tivemos negativas e imposição. Agora, estamos tentando um diálogo direto com o governador", afirmou o diretor jurídico da Aspra, o cabo da PM, Berlinque Cantelmo.
A intenção das categorias é fazer uma passeata até o Palácio da Liberdade, sede simbólica do governo de Minas Gerais, na mesma região, onde pretendem acampar, por tempo indeterminado.
Além de manifestar contra a manutenção do escalonamento de salários, as categorias são contra a proibição de concessão de novos aumentos salariais para os servidores estaduais por pelo menos dois anos; a não nomeação de novos servidores, exceto para reposição de aposentados e falecidos; ainda o grupo pede pela aprovação de uma Lei de Responsabilidade Fiscal pelos Estados; pela instituição de um regime de previdência complementar para os servidores estaduais; e querem aumento gradual, de 11% para 14%, na contribuição previdenciária paga aos servidores.
Por meio de nota, a Polícia Militar informou que não se manifesta em relação à reclamação da Aspra pela dificuldade de diálogo. Ainda no comunicado, a corporação informou que está ciente da manifestação e fará policiamento durante o ato.   
Veja a nota na íntegra:
"Prezada Jornalista Fernanda Viegas, boa tarde!
Incumbiu-me o Sr Capitão Santiago chefe da sala de Imprensa em enviar a seguinte nota:
Quanto a primeira pergunta  a Polícia Militar não se manifesta, a pergunta deve ser feita para as associações.
A segunda pergunta a Policia Militar está ciente da manifestação fará o policiamento do evento como qualquer outro grupo de manifestação, garantindo a segurança e a ordem pública.

Att,

Sala de Imprensa"
Saúde
Trabalhadores da área de saúde do Estado devem cruzar os braços no próximo dia 13 de abril, com indicativo de greve. A decisão foi tomada em audiência da categoria realizada na manhã dessa quarta-feira (30), no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em Belo Horizonte.
O Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde) alega que irá cumprir com a legislação e fazer uma escala mínima de trabalho, neste dia, quando 30% da categoria permanecerá em atendimento.
A medida foi tomada como forma de pressionar o governo a atender as reivindicações dos trabalhadores. Entre as exigências da categoria estão o reajuste salarial, a recomposição do índice de inflação de 20%, a mudança da data base para o mês de abril - igual a outros trabalhadores, segundo o sindicato - e a reestruturação do plano de carreira.

Atualizada às 14h36

PM apreende quase 60 celulares de origem duvidosa em shopping popular de BH

Quase 60 celulares de origem duvidosa foram apreendidos por policiais militares em box no shopping Xavantes, no Centro de Belo Horizonte,...