segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

EM BH Com presença de Temer, PMDB de Minas diz que governo é 'podre' Depois de avaliar que 60% da população é a favor do impeachment, e 40% contra, Moreira Franco disse que essa é a realidade do partido


michel temer

A maioria do PMDB é contra o governo Dilma Rousseff e a favor do fim da aliança com o PT. A constatação é do presidente da Fundação Ulysses Guimarães e ex-ministro da Aviação Civil de Dilma, Moreira Franco. Ele está em evento em Belo Horizonte em um encontro do partido que conta com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer.
Depois de avaliar que 60% da população é a favor do impeachment, e 40% contra, Moreira Franco disse que essa é a realidade do partido.
"É uma divisão que está na sociedade e evidentemente no partido. Nós procuramos sempre representar o Brasil. Pesquisas que fazemos nos dão a mesma porcentagem. A maior parte do partido é contra. Ela não é suficientemente sólida", afirmou Moreira Franco.
Em discurso mais elevado, o líder Newton Cardoso, ex-deputado federal e personalidade atuante no PMDB, disse que o atual governo é " podre". O encontro deixa claro que o PMDB de Minas é majoritariamente a favor do rompimento oficial do partido com o governo Dilma. A decisão do partido sai em março na Convenção Nacional.
"Se não fosse o Michel Temer estava na rua com bandeira do impeachment. Nunca vi um governo tão podre", disse e foi muito aplaudido.
O prefeito de Pará de Minas e presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Antônio Júlio, disse que o partido tem que "parar de fingir que é governo".
Depois de ouvir duras críticas ao governo Dilma Rousseff, do qual é vice-presidente, Michel Temer em seu discurso não falou sobre as divergências com o PT. Disse que o partido está empenhado em fazer o maior número de prefeituras nas eleições municipais deste ano e que o partido "não mais quer ser o autor da governabilidade, mas sermos governo".

Segundo Temer, a mensagem da bandeira do PMDB poderia ser a mesma de Minas. " Liberdade ainda que tarde", disse.

Em coletiva a imprensa, Temer minimizou as críticas que os peemedebistas mineiros fizeram ao governo ao longo dos discursos. "O PMDB é um partido plural, com as mais variadas tendências. Cada um tem seu estilo", disse ressaltando que o partido está único sobre a sua recondução a presidência nacional da legenda.

O vice-presidente da República ainda disse que " jamais fui articulador do impeachment, jamais disse uma palavra sobre esse assunto" que, segundo ele, é matéria exclusiva do Congresso.
Atualizada às 13h17.Fonte

Dupla rouba carro e bate em viatura em praça do Coração Eucarístico

O veículo foi tomado de assalto no bairro Alípio de Melo, mas os suspeitos foram surpreendidos por uma viatura, tendo início uma perseguiç...