sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

DISTÂNCIA Irritada com PT, Dilma ameaça não ir à festa do partido Petista fluminense diz que “não faria questão” de presença

BRAZIL-ROUSSEFF-CHILE-TRIP
Brasília. Informada de que o PT subirá o tom contra o ajuste fiscal neste fim de semana, a presidente Dilma Rousseff quer cancelar a participação na festa de 36 anos do partido, neste sábado, no Rio. Ministros do PT, porém, tentam convencê-la a mudar de ideia.
A versão oficial é que Dilma estará no Chile em um encontro com a presidente Michelle Bachelet e que há risco de não conseguir chegar a tempo. Na prática, ela está irritada com ataques do PT ao governo. Hoje, o partido se reúne no Diretório Nacional, também no Rio, e deve aprovar um plano econômico paralelo – que será apresentado na comemoração deste sábado.
Críticas. Em resposta aos rumores, o presidente do PT do Rio de Janeiro, Washington Quaquá, se mostrou pouco disposto. “Eu não faria questão da presença dela (Dilma), mas falo em meu nome, não do partido”, afirmou Quaquá. Ele defendeu que o PT deixe claras divergências com as medidas defendidas pelo governo, como a reforma da Previdência. 

“Quem está contrariado com ela (Dilma) somos nós, por causa do pré-sal. O acordo com o PSDB (nesta quarta) vai consolidando o movimento que está jogando fora a política econômica do (ex) presidente Lula. O governo está se distanciando muito no nosso projeto”, disse o dirigente petista, também prefeito de Maricá, no litoral fluminense.
Quaquá integra o grupo de petistas que não aceitam a política econômica do governo. A insatisfação foi agravada com a aprovação, na noite desta quarta, do projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que desobriga a Petrobras de ser operadora única e ter participação mínima de 30% na exploração da camada do pré-sal.
O presidente nacional do partido, Rui Falcão, também criticou a aprovação do projeto de lei sobre o pré-sal. “Mesmo atenuado em sua versão substitutiva, o projeto fragiliza o regime de partilha e a política de conteúdo nacional”, afirmou Falcão. “O PT marchará ao lado das demais forças progressistas, dos movimentos populares e sindicais contra este ataque à soberania nacional”, reforçou o dirigente do partido de Dilma,
Aniversário
36 anos. A festa será na zona portuária do Rio de Janeiro e terá show de Diogo Nogueira e da bateria da Portela. São esperadas 3 mil pessoas. O partido não informou os gastos com o evento.
Novo plano contradiz governo

Brasília. 
O PT vai apresentar, na festa deste sábado, um plano econômico paralelo para apontar saídas para a crise. O texto propõe, entre outros, uso de parte das reservas internacionais na criação de um Fundo Nacional de Desenvolvimento e Emprego, além de ser contrário à volta da CPMF. O imposto é defendido por Dilma, que também é contra a utilização de reservas para o enfrentamento da crise. Batizado de Programa Nacional de Emergência, o documento é assinado por Rui Falcão e tem aval de Lula.

Dupla rouba carro e bate em viatura em praça do Coração Eucarístico

O veículo foi tomado de assalto no bairro Alípio de Melo, mas os suspeitos foram surpreendidos por uma viatura, tendo início uma perseguiç...