quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Colega de trabalho atirou em casa de diretor da penitenciária, diz Polícia Civil Coordenador de segurança foi ouvido em Uberaba; veja vídeos. Disparos foram efetuados na quarta (24); Seds se posicionou em nota.

Um coordenador de segurança da Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira, em Uberaba, foi quem efetuou os disparos de arma de fogo nos portões da casa de um dos diretores da penitenciária, na madrugada de quarta-feira (24). A informação foi divulgada por delegados da Polícia Civil em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (25). O coordenador, de 47 anos, que se apresentou nesta manhã à Polícia Civil, foi ouvido e liberado. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) se posicionou em nota. 
Os disparos ocorreram no Bairro Jardim Eldorado. Ninguém ficou ferido. Logo após a ocorrência, policiais civis realizaram diversas diligências no sentido de coletar imagens de câmeras de segurança nas imediações da casa do diretor. Uma das imagens, que foi divulgada pela Polícia Civil à imprensa, mostra quando o homem passa e joga na porta uma carta com ameaças e as cápsulas de arma de fogo. Uma outra câmera mostra quando ele volta e realiza os disparos nos portões da casa. Já em uma terceira câmera é possível ver um homem tentando esconder a bicicleta. No entanto, a ação não deu certo.
“Ele pegou a caminhonete dele e colocou uma bicicleta dentro. Ele foi próximo ao local, colocou a camisa com um capuz, tentando dificultar as investigações. [...] Tirou a bicicleta da caminhonete, foi para o local de bicicleta e efetuou os disparos. Em seguida, ele voltou e colocou a bicicleta na caminhonete. Só que quando ele foi olhar, ele tinha deixado a chave dele lá na porta, pois ele também jogou várias cápsulas de calibre 380 e .38. Ele queria parecer que foi feito por mais de uma pessoa. Quando ele jogou as cápsulas, a chave da caminhonete dele caiu no local”, explicou o delegado Heli Andrade, chefe do departamento de Polícia Civil em Uberaba.
O coordenador de segurança da penitenciária alegou à Polícia Civil ter realizado a ação para chamar a atenção das autoridades sobre os crimes praticados contra agentes penitenciários. 
A versão dele, no entanto, não convenceu os delegados. Segundo o delegado Heli Andrade, o motivo do atentado foi outro. “A nossa definição é que ele estava conspirando contra a direção, falando mal para os colegas e nós temos testemunhas disso. Então, eu acredito é que ele queria um lugar, queria ser diretor ou vice-diretor da penitenciária”, disse o delegado.
O coordenador foi ouvido e liberado ainda na manhã desta quinta-feira. A Polícia Civil finalizará o inquérito policial e enviará para Justiça local. O delegado João Francisco, presidente dos autos, vai indiciar o homem pelo crime de disparo de arma de fogo.
Ainda segundo o delegado Heli Andrade, o homem também é suspeito de ter simulado um atentado contra si. 
Segundo a Polícia Civil, como medida cautelar, será solicitado o afastamento do homem do cargo. O G1 entrou em contato com a assessoria da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), que informou, por e-mail, que “a diretoria-geral da unidade prisional instaurou um Procedimento de Investigação Preliminar interno, que será encaminhado à Corregedoria da Seds para instauração de Processo Administrativo Disciplinar”.G1MG

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...