sexta-feira, 15 de janeiro de 2016



Policial Também é cidadão

Estou acompanhado pelas redes sociais e pela imprensa as mobilizações da classe da segurança pública e demais servidores públicos, lutando para que o governo não atrase e não parcele os salários.

No dia-a-dia, passamos a ler as mensagens veiculadas principalmente pelo whatsapp, lutar contra governo, sempre é muito difícil, pois este tem a arma mais poderosa que é a verba de publicidade, que neste caso em Minas todos já sabem que somente o ano passado foram gastos pelo Governador Fernando Pimentel do PT, 100 milhões de reais.

Como policial, estou atento e acompanhando todas as manifestações, de minha parte, quero deixar registrado que trabalho muito durante trintas dias, sou casado, tenho dois filhos, tenho dezenas de compromissos para pagar todo início de mês. Água, luz, IPVA, compra do mês, prestações de roupas, escola dos filhos, ou seja; toda despesa que uma família tem, igual a qualquer outro contribuinte.

A grande decepção é ver o tal do deputado Cabo Júlio, ter a cara de pau de fazer papel de assessor de comunicação do governo, tentando justificar o injustificável. Esse cidadão acha que as pessoas não tem memória. Então vejamos:

1 No movimento de 1997, este ex-governador, expulsou 186 praças, indiciou em IPM 1759, e puniu com prisão mais de 5000 praças. Mas por debaixo dos panos o então “líder”, Cabo Júlio, acertou sua campanha com nosso carrasco. Mais tarde se descobre que Eduardo Azeredo foi sua testemunha de defesa no IPM da greve, conforme processo arquivado na Justiça Militar de Minas.

2 Foi eleito deputado federal em 1998, segundo consta, sua campanha foi financiada pelo então governador Eduardo Azeredo, recebendo a época 63.965,00, conforme página 39, revista Istoé de 19 de setembro de 2007. Eduardo Azeredo, para a família policial, sempre foi nosso pior inimigo.

3 No dia 09 de setembro de 2000, o então candidato a prefeito de Belo Horizonte, Cabo Júlio desiste de sua candidatura, sabe qual foi o motivo? Pergunte a Paulo Moura, hoje Secretário de Estado de Pimentel e à época secretário municipal de governo também de Pimentel.

4 Em 2006 fica conhecido nacionalmente no escândalo da máfia das ambulâncias e depois condenado pela justiça federal, está inelegível por oito anos. Sua ficha criminal é extensa, nove processos por improbidade administrativa, uma condenação por lei Maria da penha, denunciado pela justiça federal do Mato Grosso dezesseis vezes por corrupção ativa e dezesseis vezes por FORMAÇÃO DE QUADRILHA.

O pior é que ainda tem Policial e Bombeiro Militar que chama esse cidadão de representante de classe, eu pergunto, com esse histórico criminal, ele é representante de qual classe? Da minha classe de Policial ele não é, pois o que faço é combater o crime todos os dias.

Em relação a mobilização que as entidades de classe estão organizando, eu estarei lá no dia 02 de fevereiro as 13:00 hs. Todos nós sabemos que o governo do PT não gosta de POLÍCIA, basta pesquisar o que aconteceu na Bahia, com o então governador Jaques Wagner e no Rio Grande Do Sul, como tal de Olívio Dutra. Não podemos aceitar atraso de pagamento e o pior PARCELAMENTO. Falam que o Brasil está em crise, Vejam o reajuste dado aos aposentados pelo Governo Federal de 11,28% e agora o piso nacional dos professores reajustados em 11,36% ambos em 2016.

Sou Cabo, sou um policial honrado, vou defender o meu salário, a minha família. O que estou percebendo é um enorme teatro do Governo Pimentel para não dar aumento salarial este ano. Se calarmos agora, vai ficar pior ainda, temos que participar, temos que mobilizar, nada vem de graça para nós, não podemos nos acovardar. Fiquemos atentos e vamos à luta!

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...