sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Frequentadores reclamam de arrombamentos e investem em alarme e vidro escuro



O arrombamento de veículos ultrapassou o furto e se tornou o crime mais frequente na Savassi, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Nos últimos três meses, esse tipo de delito representou 53% dos registros feitos no site Onde Fui Roubado, que traça o perfil dos crimes em cada região da cidade e é atualizado pelas próprias vítimas. A situação tem preocupado os frequentadores do local, que já tomam medidas para se prevenir.

O empresário Willian Ferreira de Araújo, 40, já teve o carro arrombado três vezes na Savassi. O último crime foi há cerca de três meses. “Só nesses casos tive um prejuízo de R$ 15 mil. Da última vez, meu carro estava estacionado na rua Fernandes Tourinho, quando voltei o vidro estava quebrado e haviam levado meu MacBook e meu iPad”, lembra. Para Araújo, a única maneira de inibir os criminosos é aumentar o policiamento na região.
O sargento Valtair Estevão, que atua no policiamento da Savassi, confirma que o arrombamento é um dos crimes mais comuns na área e explica que a polícia já sabe como os bandidos agem. “Eles andam com uma lanterna e, com elas, mesmo que o vidro seja escuro, eles conseguem enxergar dentro do veículo e identificar possíveis objetos de valor que estejam lá dentro. O foco principal desses bandidos são computadores”, diz.
Prevenção. O militar afirma ainda que a ação é muito rápida e por isso os ladrões não se inibem com alarmes.
“A polícia faz seu papel, com rondas preventivas e tentando identificar pessoas em atitudes suspeitas. Porém, o cidadão pode também fazer sua parte. Não basta ter alarme nem vidro fumê. A melhor forma de prevenção contra esse crime é não deixar objetos de valor dentro do carro. O melhor é guardar no porta-malas, antes de sair”, explica.
O analista de marketing Rubens Palhares, 27, toma essas medidas de segurança e vai além. “Sempre que venho para a Savassi, paro o carro o mais próximo possível da praça porque sei que aqui existe um policiamento melhor. Mas nem sempre consigo encontrar vaga”, pontua.
De outubro a dezembro do ano passado, foram registrados, no site colaborativo, 17 crimes na Savassi, sendo que nove foram arrombamentos de carros, ficando pela primeira vez à frente dos furtos, com seis registros nesse mesmo período. O número real de ocorrências é bem maior, mas a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) não divulga os dados regionalizados.
Onde fui roubado
BalançoO crime mais registrado na Savassi se considerado todo o ano de 2014, segundo o site Onde Fui Roubado, foi o furto, com 34 notificações. O arrombamento de carro vem em segundo lugar, com 26, seguido de assalto à mão armada, com 20 registros.
Na cidadeEm toda a capital, 1.641 crimes foram registrados no site. A principal ocorrência é o assalto à mão armada, com 6.523 notificações. Em segundo, aparece o furto, com 422. O arrombamento é o terceiro, com 250 ocorrências.
Caem roubos na capital
Enquanto o número de arrombamentos cresce na Savassi, a boa notícia é que houve queda no número de roubos de carros em Belo Horizonte. Um balanço divulgado pela Polícia Civil mostra que de janeiro a novembro de 2014, foram 7.165 veículos na capital, contra 8.165, no mesmo período de 2013.

A polícia informou ainda que subiu o número de veículos recuperados. Foram encontrados 4.211 carros roubados nos primeiros 11 meses do ano, contra 3.408 em 2013, uma alta de 23%.
O Tempo

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...