segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

'Trauma que ela vai carregar' diz mãe após prisão de ex-prefeito por estupro

                               Ex-prefeito Patrocínio Julio Elias preso (Foto: Reprodução/TV Integração)
                                           Ex-prefeito Patrocínio Julio Elias preso (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

O ex-prefeito de Patrocínio, Júlio César Elias Cardoso, detido no último sábado (13) sob suspeita de abusar sexualmente de uma menina de sete anos, pode responder por estupro de vulnerável, crime em que a pena é de oito a 15 anos de prisão. A informação foi confirmada pela delegada Laís Veiga Caetano, responsável pelo caso. Até a manhã desta segunda-feira (15), o suspeito permanecia preso na cidade do Alto Paranaíba, em uma cela separada na Penitenciária Deputado Expedito de Faria Tavares. O político nega o crime.
A família é vizinha do suspeito e a vítima estava brincando com a filha do ex-prefeito. De acordo com o pai da menina, a criança relatou o ocorrido durante o caminho de volta para casa. “Ela contou que estava no quarto brincando com a amiga, quando o Júlio Elias pediu para ela lamber o pênis dele. Para a delegada, ela também afirmou que a amiga disse que o pai também já havia feito o mesmo com ela." Segundo a mãe da vítima, ela ficou revoltada ao saber da situação. “Meu marido voltou até a casa do político, que se trancou dentro da casa. Indignada, liguei para a polícia”, conta a mãe da vítima
Ainda de acordo com a mãe, a filha sofrerá as consequências da ação. “Criamos nossos filhos com muito amor e carinho e vem uma pessoa dessa traumatizar a menina. Isso é um trauma que minha filha vai carregar por não sei quanto tempo”, afirma a mãe.A delegada responsável pelo caso, Laís Veiga Caetano, informou que a prisão de Júlio Elias foi ratificada pelo artigo 217 A do código penal, de estupro de vulnerável, em que a pena é de oito a 15 anos de prisão. "A vítima, apesar da pouca idade, é uma criança bastante inteligente, que sabe falar corretamente, com coerência dos fatos e eu entendi que foi suficiente para a ratificação do flagrante", disse.
Ainda segundo a delegada, a investigação continua. “O fato será melhor investigado, pois até o momento não há comprovação nenhuma sobre o caso”, relata a delegada.
O ex-prefeito e nega o crime contra a criança e afirma que a acusação é perseguição política. “O que estão fazendo comigo é perseguição à minha vida pessoal, profissional e familiar”, afirmou o político. O advogado do suspeito, Erli Voltoline Junior, disse que está preparando a defesa e vai entrar ainda essa semana com um pedido de habeas corpus, no Tribunal de Justiça em Belo Horizonte.
Na tarde desta segunda-feira (15), a delegada Especializada de Atendimento à Mulher deve ouvir a esposa de Júlio Elias e a filha dele, para apurar a denúncia de abuso contra ela também.Júlio César Elias Cardoso tem 55 anos e foi prefeito de Patrocínio por duas vezes, no período de 1993 a 1996 e de 2005 a 2008. Em 2102 ele tentou voltar à Prefeitura, mas teve o registro impugnando pela Justiça e antes de terminar o processo, renunciou à disputa.
O ex-prefeito foi detido na noite de sábado (13) sob suspeita de abusar de uma menina de sete anos, amiga de sua filha. Segundo o Boletim de Ocorrências registrado pela polícia, a garota brincava na casa do suspeito, quando ele teria se aproveitado de uma oportunidade em que ela ficou sozinha para obrigá-la a colocar a boca em seu pênis. À polícia, Júlio César negou as acusações e disse que se trata de perseguição política.
Uma guarnição foi encaminhada à residência do suspeito, que foi autuado por estupro de vulnerável. O ex-político foi encaminhado para o presídio de Patrocínio no domingo (14), onde permanecer até posicionamento da Justiça, já que o crime pelo qual irá responder não cabe fiança.
Por: G1

Governo de MG diz que 88% dos servidores receberam duas parcelas do salário

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda informou que o estado trabalha para pagar os últimos 12% 'o quanto antes'