quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Suspeitos de duplo homicídio de garageiros são apresentados em MG

Suspeitos de duplo homicídio de garageiros são apresentados em Uberlândia (Foto: Caroline Aleixo/G1)

Crime em Uberlândia foi motivado por causa da negociação de um terreno.
Grupo será indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado.

Quatro dos cinco suspeitos de envolvimento nos homicídios de dois garageiros em Uberlândia, no mês de fevereiro, foram apresentados pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (11). O inquérito será finalizado e encaminhado ao Poder Judiciário na próxima segunda-feira (15). Durante a apresentação, nenhum dos envolvidos quis se pronunciar sobre o caso.
A motivação do crime, segundo apurado pela polícia, seria a negociação de um terreno no Bairro Aclimação entre o suspeito de ser o mandante, João Batista de Oliveira, 50 anos, e a vítima Luciano de Paula, 42. João vendeu a área no valor aproximado de R$ 300 mil, contudo, o comprador tentou revender para um terceiro.
O delegado de Homicídios, Matheus Ponsancini, informou que o lote localizado no Bairro Aclimação está com a documentação irregular e por isso o negócio não foi feito. Foi então que Luciano procurou João Batista para desfazer a negociação. “Entendemos o crime como motivo fútil. Ele mandou matar porque a vítima não quis mais ficar com o terreno”, apontou.
De acordo com o delegado, a mulher teria falsificado documentos para comprar um chip telefônico, que foi colocado no aparelho celular usado no dia do crime. “Eles não conheciam o Luciano e então ligaram para o telefone dele no momento do crime, para que ele fosse identificado e baleado. Conseguimos ver isso nas imagens da câmera de segurança”, contou Ponsancini.O homem foi preso na última semana. Também já estavam detidos o irmão dele, Juarez de Oliveira Bastos, 46 anos, que foi quem contratou os executores Marcos Aurélio da Cruz, 35 anos, e Lauro Silveira, 20 anos, além da namorada de Lauro, uma mulher de 32 anos que se encontra presa em Araxá, no Alto Paranaíba.
Os envolvidos serão indiciados por duplo homicídio triplamente qualificado por motivo fútil, impossibilidade de defesa das vítimas e crime mediante promessa de recompensa, uma vez que os executores receberiam R$ 5 mil pelo assassinato de Luciano. Eles já tinham várias passagens policiais e alguns, inclusive, cumpriam pena.
Do G1 Triângulo Mineiro

Governo de MG diz que 88% dos servidores receberam duas parcelas do salário

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda informou que o estado trabalha para pagar os últimos 12% 'o quanto antes'