segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Novo golpe em redes sociais faz vítima em Juiz de Fora

Golpe facebook (Foto: Reprodução/TV Integração)

Golpe utiliza perfil de vítimas para conseguir dinheiro.
Caso está sendo investigado como estelionato.

Os crimes pela internet estão cada vez mais comuns. Mesmo com senhas e sistemas de segurança, os usuários de redes sociais e e-mails podem ter as contas invadidas. Em um novo golpe, os hackers acessam a rede e pedem dinheiro para os contatos da lista. EmJuiz de Fora, pelo menos um usuário foi vítima. O caso está sendo investigado como estelionato.
Para realizar o crime, o invasor usava o perfil pessoal da vítima para conversar com amigos e pedir um depósito na conta de um terceiro. O argumento usado era que o dono da conta estava ocupado, com o cartão bloqueado ou no escritório e não poderia realizar a transferência ou depósito. O invasor pedia ainda para que os colegas enviassem um comprovante no e-mail pessoal da vítima.
O hacker conversou com mais de 25 amigos e quatro deles acabaram realizando o depósito. A vítima acabou descobrindo o golpe quando acessou uma das redes sociais e percebeu que uma outra pessoa usava a conta junto a ele.
A vítima, que prefere não se identificar, conta que o hacker pedia aos amigos a transferência de R$ 380. A mensagem dizia que ele precisava do dinheiro com urgência e assim que a pessoa do outro computador sinalizava o interesse em ajudar, o invasor passava o número da conta bancária. “Eu recebi a ligação de um colega dizendo que tinha alguém utilizando meu nome no facebook e pedindo dinheiro”, revelou.
A vítima procurou a Polícia Civil para registrar a ocorrência e foi informado que Juiz de Fora não possui uma delegacia especializada em crimes virtuais.Com as transferências, o hacker conseguiu R$ 2280. Uma amiga da vítima não foi avisava a tempo. “Na correria do dia-a-dia a gente esquece de verificar as informações corretas e escutamos uma coisa e pensamos que realmente precisava daquilo, de ajuda. Então na hora eu só pensava em ajudar este amigo”, disse.  Alguns amigos ainda desconfiaram e chegaram a pedir que o hacker ligasse para ele durante a conversa. Outro disse claramente que suspeitava de um golpe.
A polícia reconhece a dificuldade de se chegar aos golpistas, já que as contas bancárias usadas para este tipo de prática são de “laranjas”. O delegado, Rogério Couto, acredita na existência de outras vítimas. “Todo mundo tem que tomar muito cuidado com a rede social, ou com qualquer senha que ela tenha para se evitar que isso seja violado. As pessoas que forem ajudar um amigo, que estiver pedindo dinheiro, tem que certificar de que é realmente a pessoa”, afirmou.
Caso seja identificado e condenado, o suspeito da invasão poderá pegar pena de um a cinco anos de reclusão.
Do G1 Zona da Mata

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...