quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

IBIRITÉ Cadela protege garoto de 3 anos

AJL157.jpg
AJL153.jpg

Criança desapareceu e foi acompanhada pela cachorra Pitucha em caminhada de mais de 2 km

Mesmo com fama de chata – pecha que ganhou por seguir os donos até mesmo dentro de supermercados e casas de vizinhos – a cachorrinha Pitucha acabou se tornando a mais nova heroína do bairro Canoas, em Ibirité, na região metropolitana. O animalzinho foi o protetor do pequeno Miguel Marques, 3, que fugiu de casa e desapareceu por mais de três horas, na tarde a última terça-feira. Além de acompanhar todo trajeto do menino, Pitucha ainda guiou o mecânico José Fagundes, 54, que encontrou a criança, de volta para casa.

Tudo começou com o descuido da irmã mais velha do garoto, de 16 anos, que tomava conta dele e, por distração, deixou a portão do imóvel aberto. Miguel então saiu andando pelas ruas do bairro. Somente a cadela vira-lata da família viu a cena, e começou a acompanhá-lo.
Foram mais de 2 km de andança até um bairro vizinho, o Água Azul, onde o garoto resolveu entrar em um veículo que estava aberto. Ele foi encontrado pelo proprietário do carro, o mecânico José Fagundes.
“Estava consertando um carro ao lado e deixei o meu aberto. Meia hora depois, estava com fome e resolvi ir comer quando alguém me perguntou se eu ia deixar aquele menino no carro. Eu virei e levei um susto ao ver aquela criança desconhecida ali”, contou Fagundes.
Do lado de fora do veículo, acompanhando tudo apreensiva e inquieta, estava Pitucha. “Como ninguém conhecia esse menino, e ele não sabe falar direito, eu olhei para aquela cadelinha e pensei: ‘o dono dela só pode ser essa criança. Eu vou tocar ela e seguí-la de carro. Quem sabe’. E deu certo. Ela foi correndo na frente do carro, guiando o trajeto. Foi um sobe e desce de morro, atravessando bairros, até que a cadela sentou em frente a casa desse menino”, disse.
Nesse momento, parentes do menino já haviam percebido sua ausência e procuravam o garoto. A mãe de Miguel, a auxiliar de serviços gerais Sueli Marques Gondim, 46, respirou aliviada quando ele reapareceu junto com o mecânico.
“Eu sai da minha casa às 4h30 e fui para o meu trabalho lá em Belo Horizonte. Era por volta das 14h, quando terminava meu horário de almoço, que minha filha me ligou e falou: ‘mãe o Miguel sumiu’. Foi um desespero só. Saí correndo do serviço, peguei o primeiro ônibus que pude. E cheguei quase no mesmo horário que meu filho reapareceu. Quase tive um enfarto. Ainda bem que ele caiu nas mãos de uma pessoa boa”.
Heroína. Passado o susto, o tratamento dado para a cadela Pitucha mudou completamente, e logo ela ficou famosa entre os vizinhos.
“Antes muita gente xingava ela, porque ela sempre foi de acompanhar muito as crianças. Aonde a gente vai, ela vai atrás. Em supermercado, casa de amigos. Então isso incomodava as pessoas. Só que agora, depois disso tudo, é só carinho de todo mundo”, contou Sueli.
Pitucha, inclusive, ganhou uma sessão com banho e outros tratamentos em um pet shop após o ocorrido. No entanto, a maior recompensa que ela terá será um carinho ainda maior dos seus donos. “Estamos com ela há 5 anos. Somos gente muito humilde, sem esquemas de segurança grandiosos, mas agora sabemos que ela está ali. O amor que temos com a Pitucha é aquele dos mais puros e sabemos que podemos contar com ela”, afirmou, emocionada, a mãe do garoto Miguel.
Ocorrência
Registro. A Polícia Militar chegou a ser chamada em função do desaparecimento mas, como não houve crime, não fez um boletim de ocorrência. Os militares somente registraram a história.
O Tempo

Dez pessoas são presas durante operação de combate à criminalidade no Vale do Mucuri

Pelo menos dez pessoas foram presas, nesta sexta-feira (17), durante operação de combate à criminalidade no município de Malacacheta, no V...